Leda Nagle - Reprodução Internet
Leda NagleReprodução Internet
Por O Dia
Publicado 06/11/2020 08:09 | Atualizado 06/11/2020 08:19
Rio - Leda Nagle deu o que falar nas redes sociais depois de comparar as demissões de Rodrigo Constantino com a ditadura militar. Constantino teve contrato rescindido com a Jovem Pan, com a Record, com a rádio Guaíba e com o jornal Correio do Povo após suas declarações sobre o caso Mariana Ferrer. Ele afirmou que caso a filha fosse estuprada nas mesmas condições que Mariana, não daria queixa e ainda colocaria a jovem de castigo.
Publicidade
Em seu vídeo defendendo Constantino, Leda Nagle não citou nomes mas fez críticas a uma jornalista que teria "feito barulho na internet" para forçar a queda do comentarista. Os internautas especularam que a fala de Leda Nagle é um ataque a Vera Magalhães, porque a apresentadora do "Roda Viva" criticou a fala de Constantino sobre o estupro de Mari Ferrer. 
"Antigamente, quem pedia a cabeça de um jornalista era um militar, da equipe da ditadura. Depois, os donos de jornal, os poderosos, o ministro das Comunicações, amigo do dono do jornal, pedia a cabeça de um repórter. Agora não! Agora é uma repórter que pede a cabeça de um cara que ela detesta, que é um jornalista como ela!", iniciou Leda Nagle. 
Publicidade
"Eu não vou dizer nomes porque não quero ser processada e me meter nessa encrenca. Mas é uma jornalista que pede a cabeça de outro jornalista porque ela não gosta dele. E ela se aproveita de um equívoco. Ela pega a live dele, ou edita um trecho, diz que aquilo tá errado, lidera uma campanha contra o cara e fica toda feliz quando o sujeito é demitido", finalizou.