Os aprendizes terão suas carteiras de trabalho assinadas com remuneração proporcional à carga horária mensal, entre outras garantias trabalhistasDivulgação

Rio - O Departamento Geral de Ações Socioeducativas do Estado (Degase), vinculado à Secretaria de Estado de Educação (Seeduc-RJ), anunciou manhã desta terça-feira, 4, a admissão de mais 25 socioeducandos no Programa Jovem Aprendiz. Carteiras de trabalho serão assinadas nesta quarta-feira, 5. 
Os cursos e a prática profissional são viabilizados a partir de convênios firmados entre empresas, Sistema de Garantias de direitos e Degase. O contrato de aprendizagem terá duração de 15 meses e serão beneficiados jovens que cumprem medida socioeducativa de semiliberdade nos Centros de Recursos Integrados de Atendimento ao Adolescente (Criaads) da Ilha do Governador, Bonsucesso, Bangu e Santa Cruz. Os aprendizes terão suas carteiras de trabalho assinadas com remuneração proporcional à carga horária mensal, entre outras garantias trabalhistas.

Na quinta-feira, 6, os novos jovens aprendizes começarão as aulas teóricas na Rede Nacional de Aprendizagem, Promoção Social e Integração (Renapsi), no Centro do Rio, e já na segunda quinzena de fevereiro iniciam a parte prática no SENAI.

Estes 25 jovens foram selecionados a partir de um processo de pré-aprendizagem que teve início no dia 5 de novembro. Durante esse período, que acontece desde a preparação até a contratação, são desenvolvidas diversas atividades de sensibilização como palestras, aulas e dinâmicas com o objetivo de levar os jovens a pensar o mundo do trabalho e sua participação e contribuição como aprendizes. Esta etapa é realizada pela Divisão de Profissionalização (Dipro) do Degase, vinculada à Coordenação de Educação, Cultura, Esporte e Lazer do órgão.

O Secretário de Educação, Alexandre Valle, reforçou a conquista da ampliação das vagas do programa Jovem Aprendiz, estendidas também para os jovens que cumprem medida de semiliberdade, elevando o número de socioeducandos ingressando no mercado de trabalho formal com carteira assinada.

"É uma oportunidade única de inclusão socioeconômica e de desenvolvimento de competências para o mundo do trabalho. O programa faz com que os jovens continuem sua escolarização, se profissionalizem e percebam um horizonte bem definido após o cumprimento de medida. Entrar no mercado de trabalho formal tendo o suporte dos profissionais do departamento e dos parceiros do Jovem Aprendiz é um caminho seguro para definir um novo projeto de vida", disse o secretário.

Novas vagas

No segundo semestre de 2021, foram 74 socioeducandos inseridos no programa e mais 25 jovens que deram início ao processo de pré-aprendizagem ainda no mês de novembro. Estes últimos são os que terão suas carteiras assinadas neste início de 2022, abrindo o caminho para novo ciclo do semestre que se inicia.

"O programa Jovem Aprendiz reúne as melhores experiências que podemos esperar da socioeducação: aprendizagem multidisciplinar, preparação, muitas vezes, para o primeiro emprego formal, reinserção social e geração de renda. Essa oportunidade gera, efetivamente, um novo começo para o socioeducando e sua família", comemora o diretor-geral do Degase, Victor Poubel.