Carteira de trabalhoReprodução

O presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), afirmou nesta quinta-feira, 6, que, em relação a empregos, o ano de 2020 "terminou em zero a zero, apesar de os dados informados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) mostrarem resultado negativo no ano. "Nem saldo, nem déficit de emprego" reforçou.
Após uma revisão de dados realizada pelo governo, foi constatado, em novembro do ano passado, que o País encerrou o primeiro ano da pandemia com saldo negativo de geração de empregos. De acordo com os dados revisados, a perda foi de 191,5 mil vagas com carteira assinada em 2020.
Conforme mostrou o Broadcast (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado), revisões em dados do Caged são corriqueiras e podem ocorrer até 12 meses após novas demissões e admissões por causa do prazo das empresas para informar os dados ao governo, o que pode demorar.
A magnitude da discrepância revela que de fato um número maior de firmas atrasou o preenchimento das informações sobre demissões no ano de 2020.
De acordo com o Ministério do Trabalho e Previdência, a maioria das declarações enviadas fora do prazo é feita por pequenas empresas.