Rio entra em ação hoje na Superliga feminina

Competição nacional conta com o Flamengo de volta à elite 18 anos após ser campeão, Fluminense e Sesc RJ

Por ANA CARLA GOMES

Bernardinho, do Sesc RJ, Hylmer Dias, do Fluminense, e Alexandre Ferrante, do Flamengo, são os técnicos do Rio
Bernardinho, do Sesc RJ, Hylmer Dias, do Fluminense, e Alexandre Ferrante, do Flamengo, são os técnicos do Rio -

Com o Flamengo de volta à elite do vôlei nacional 18 anos após ter conquistado o título brasileiro com Leila e Virna, a Superliga feminina começa hoje com mais dois representantes do Rio: Fluminense e Sesc RJ. Comandado pelo técnico Alexandre Ferrante, o Rubro-Negro estreia às 20h30, contra o Itambé/Minas (MG), atual campeão, no Tijuca. Já o Sesc RJ, do técnico Bernardinho, joga às 20h, contra o Curitiba Vôlei, fora de casa, enquanto o Tricolor terá pela frente o São Paulo/Barueri, às 19h30, também na casa do adversário.

O Sesc RJ encara a missão de recuperar seu posto entre os primeiros colocados após ter ficado pela primeira vez fora das semifinais na última edição. "Houve muitas mudanças e a nossa intenção foi montar um grupo consistente, que pudesse suportar a pressão de jogar no Rio, saindo de uma situação adversa que foi a temporada passada. Sabemos que a realidade é difícil, com times muito fortes", analisa Bernardinho.

Ele destaca a chegada da campeã olímpica Tandara: "É uma jogadora que a gente sempre admirou. Ela disse que o sonho dela é chegar muito bem para a próxima Olimpíada. A gente quer compartilhar isso com ela".

SONHO RUBRO-NEGRO

O Flamengo é uma das atrações do torneio, retornando à elite. "É a realização de um grande sonho que tínhamos dentro de casa quando tocamos a mão no primeiro tijolo que constrói uma parede muito bacana", conta o técnico rubro-negro, Alexandre Ferrante, idealizador do projeto. "Estrear em uma Superliga principal tendo tido a trajetória que tivemos em um ano e meio de trabalho é para a gente um motivo de muito orgulho, de muita satisfação. O Flamengo é um clube tradicionalmente formador e que tem que recuperar essa tradição histórica também de resultado e excelência no vôlei", completa o comandante.

O Fluminense disputa sua quarta temporada desde que voltou à elite. "Nosso maior desafio é ser consistente o tempo todo. Na temporada passada tivemos muitos altos e baixos, algo que não queremos neste ano. Queremos ser competitivos e, principalmente, que a equipe empolgue e traga nosso torcedor para junto de nós porque ele é fundamental na nossa caminhada", afirma o técnico tricolor, Hylmer Dias.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Galeria de Fotos

Bernardinho, do Sesc RJ, Hylmer Dias, do Fluminense, e Alexandre Ferrante, do Flamengo, são os técnicos do Rio Divulgação/Sesc/RJ/Marcio Mercante
O técnico Bernardinho, do time feminino de vôlei Sesc RJ, com a campeã olímpica Tandara Divulgação/Sesc/RJ/Marcio Mercante

Comentários