Mais Lidas

Separatistas consideram líder preso para presidir a Catalunha

No entanto, o menor dos partidos separatistas, a CUP, advertiu nesta terça-feira que "ainda se está longe ou muito longe"

Por AFP

Carles Puigdemont
Carles Puigdemont -

Madri - Os partidos separatistas catalães se aproximam de um acordo para propor um candidato alternativo a Carles Puigdemont para a presidência regional, privilegiando Jordi Sánchez, um dirigente independentista preso há mais de quatro meses.  No entanto, o menor dos partidos separatistas, a CUP (extrema esquerda), advertiu nesta terça-feira que "ainda se está longe ou muito longe".

Até agora, o único candidato era Puigdemont, suspenso da Presidência da Catalunha após a frustrada declaração de secessão desta região espanhola em 27 de outubro. Com ele na cabeça, sua chapa foi a mais votada entre as dos separatistas nas eleições regionais de 21 de dezembro.

Puigdemont, em exílio voluntário na Bélgica, é investigado na Espanha por rebelião e sedição, e por isso corre o risco de ser preso se voltar à Espanha para ser empossado presidente regional, mas tampouco pode ser à distância, segundo determinou o Tribunal Constitucional.

Desde o fim de janeiro, os três partidos separatistas majoritários, com maioria na Câmara regional, com 70 dos 135 assentos, tentam superar esse obstáculo.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários