Eleições tensas na Itália

Protesto contra Berlusconi e falhas na impressão de cédulas marcaram domingo

Por O Dia

Militante protestou enquanto Silvio Berlusconi votava em Milão
Militante protestou enquanto Silvio Berlusconi votava em Milão -

Mais de 46 milhões de italianos votaram ontem, para escolher os parlamentares que legislarão pelos próximos cinco anos. Houve relatos de falhas no início das eleições da Itália. Em Palermo, 200.000 cédulas tiveram de ser reimpressas durante a noite, porque foram entregues os papéis errados. Em Mantova, onde os eleitores também estão escolhendo a liderança da região da Lombardia, o logotipo do candidato regional do Partido Democrático foi impresso erroneamente.

Já quando o ex-premiê Silvio Berlusconi estava prestes a entregar a sua cédula de votação, nas eleições, uma alegada militante do Femen subiu na mesa e fez topless, para protestar. Berlusconi não pode assumir nenhum cargo político até 2019, por causa de uma condenação por fraude fiscal.

Se os analistas estiverem corretos, o país terá um Parlamento dividido. Pesquisas sugerem que o Movimento 5 Estrelas deve receber o maior número de votos, mas os mecanismos das eleições italianas favorecem coalizões em detrimento de siglas únicas. Os 28% de intenção de voto para o 5 Estrelas, calculados pelo instituto YouTrend, perdem para os 36,8% da coalizão de centro-direita formada pelo Força Itália, do ex-primeiro ministro Silvio Berlusconi, pelo Liga Norte e o Irmãos da Itália.

Comentários

Últimas de Mundo & Ciência