Ataque contra comunidade agrícola deixa 86 mortos na Nigéria

Outras seis pessoas ficaram feridas e 50 casas foram derrubadas

Por AFP

Jos - Oitenta e seis pessoas morreram em um ataque de supostos pastores nômades contra comunidade de agricultores no estado de Plateau, centro da Nigéria, informou a polícia neste domingo.

A descoberta na zona de Barikin Ladi, nesse estado, acontece após dias de violência, que aparentemente foi desencadeada por um ataque de fazendeiros da etnia Berom contra agricultores fulani na quinta-feira passada.

O delegado de polícia Undie Adie disse que nas buscas realizadas em localidades Berom após os confrontos de sábado foram encontrados "um total de 86 pessoas morreram". Outras seis pessoas ficaram feridas e 50 casas foram derrubadas, informou Adie à imprensa, acrescentando que os corpos encontrados foram entregues às famílias.

Essas mortes são as últimas que acontecem no contexto de longa batalha pelo controle das terras e dos recursos, que colocou o presidente Muhammadu Buhari sob pressão a um ano das eleições.

A violência, alimentada por motivações étnicas, religiosas e políticas, tem custado milhares de vidas em décadas. Analistas acreditam que isso pode se tornar a maior preocupação sobre segurança para o país, na frente da insurgência islamita do Boko Hamar, que já deixou pelo menos 20.000 mortos desde 2009.

O governo do estado de Plateau afirmou que havia imposto restrições a movimentos nas áreas de Riyom, Barikin Ladi e Jos South para evitar "uma interrupção da lei e da ordem". Neste domingo, jovens da etnia Berom levantaram barricadas na estrada que leva de Jos a Abuya e atacaram motoristas que aparentavam ser "fulani e muçulmanos", que dizem ter escapado da violência.

O porta-voz da polícia do estado de Plateau, Tyopev Terna, e o major Adam Umar, do corpo especial da capital do estado, confirmaram os bloqueios e os atos de vandalismo contra vários veículos.

Últimas de Mundo & Ciência