Violência toma as ruas de Porto Príncipe

Manifestantes armados saquearam estabelecimentos comerciais no Haiti

Por AFP

Multidão invade shopping em Delmas, uma comuna perto de Porto Príncipe
Multidão invade shopping em Delmas, uma comuna perto de Porto Príncipe -

Haiti - Novos saques foram registrados neste domingo em Porto Príncipe, onde os moradores tentam retomar suas atividades depois de dois dias de violentos protestos provocados pelo anúncio de alta de preços dos combustíveis, medida que depois foi suspensa pelo primeiro-ministro, Jack Guy Lafontant. Os manifestantes anunciaram greve geral de dois dias a partir hoje para exigir a saída imediata do presidente Jovenel Moïse.

Alguns manifestantes armados com faca, atacaram e saquearam estabelecimentos comerciais no centro da capital haitiana, em Delmas. Para dispersar os protestos, policiais de unidades especializadas em manter a ordem fizeram disparos para o alto e usaram gás lacrimogêneo. Segundo balanço da Agência France-Presse pelo menos três pessoas morreram desde o início dos protestos, na sexta-feira, no Haiti.

As manifestações tiveram início em Porto Príncipe depois que o governo anunciou um forte aumento das tarifas dos combustíveis para cumprir um acordo com o FMI assinado há cinco meses. A decisão implicava em um aumento da gasolina de 38%, do diesel de 47% e do querosene de 51%.

Devido à violência e pouco depois que o presidente da Câmara dos Deputados, Gary Bodeau, lançou um ultimato ao governo para que revertesse sua decisão.

Comentários

Últimas de Mundo & Ciência