Objeto interestelar pode ter sido enviado à Terra por alienígenas, segundo astrônomos de Harvard

Objeto foi descoberto em outubro de 2017 e batizado de Oumuamua, que significa 'um mensageiro que alcança o passado distante', em havaiano

Por O Dia

Objeto interestelar pode ter sido enviado por alienígenas, segundo pesquisadores de Harvard
Objeto interestelar pode ter sido enviado por alienígenas, segundo pesquisadores de Harvard -

Rio - Um objeto interestelar de formato alongado, com mais de 400 metros de comprimento, pode ter sido enviado à Terra intencionalmente por uma civilização alienígena, segundo astrônomos de Harvard. As informações são da CNN. 

Shmuel Bialy e Abraham Loeb, autores do estudo publicado pelo Centro de Astrofísica de Harvard-Smithsonian, levantaram a hipótese como uma das possíveis explicações para o "excesso de aceleração" do objeto, que pode ter uma origem "artificial". 

O objeto foi descoberto em outubro de 2017 e batizado de Oumuamua, que significa "um mensageiro que alcança o passado distante", em havaiano. Desde a sua descoberta, cientistas estão tentando explicar sua origem e algumas características incomuns. Ele foi primeiro classificado como um cometa, depois como asteroide, até que, enfim, foi definido como um objeto raro, o primeiro de seu tipo a entrar em nosso sistema solar. 

"Oumuamua pode ser uma sonda totalmente operacional enviada intencionalmente às proximidades da Terra por uma civilização alienígena", diz o documento publicado pelos astrônomos. 

Segundo a reportagem da CNN, no entanto, especialistas são céticos quanto a esta hipótese. "Não tenho nenhum problema com esse tipo de estudo especulativo", disse Coryn Bailer-Jones, do Instituto Max Planck de Astronomia, à CNN. "É divertindo e instigante, e a questão de saber se existe vida alienígena é realmente importante. Mas o artigo não dá nenhuma evidência que comprove a existência de alienígenas (e os autores não pretendem isso, devo observar)", conclui ele, que também observou que a palavra "alien" só foi citada uma vez no documento. 

Últimas de Mundo & Ciência