Atropelamento deixa 9 feridos no Ano Novo em Tóquio

Jovem de 21 anos jogou seu veículo intencionalmente contra uma multidão que celebrava o ano-novo em uma movimentada rua de Tóquio

Por AFP

Motorista disse à polícia que estava agindo
Motorista disse à polícia que estava agindo "em retaliação à pena de morte", sem dar mais detalhes -

Tóquio - Nove pessoas ficaram feridas, uma delas com gravidade, quando um homem deliberadamente jogou seu veículo contra uma multidão que celebrava o Ano Novo em uma movimentada rua de Tóquio, no Japão.

Com a "intenção de assassinar", Kazuhiro Kusakabe, de 21 anos, dirigiu um pequeno veículo até a rua Takeshita, no distrito de Harajuku, Tóquio, 10 minutos depois da meia-noite, informou um porta-voz da polícia à AFP.

De acordo com a televisão NHK, Kusakabe disse à polícia que estava agindo "em retaliação à pena de morte", sem dar mais detalhes.

As imagens da NHK mostraram um carro pequeno com a parte dianteira esmagada e pessoal de serviços médicos transferindo pessoas em macas.

Uma testemunha disse à NHK que foi "uma cena assustadora".

"Eu vi as pessoas caíndo no chão. Quando me aproximei da cena, muitas outras pessoas estavam caídas. E já havia paramédicos ajudando pessoas", contou.

A polícia imediatamente isolou a rua, que estava lotada de pessoas comemorando o Ano Novo.

Um estudante universitário sofreu ferimentos graves e foi levado para operação.

Kusakabe foi preso por suspeita de tentativa de assassinato, segundo a polícia.

De acordo com a mídia local, Kusakabe atropelou um total de oito pessoas e agrediu outra pessoa na rua, que estava fechada para o tráfego devido às festividades.

A rua Takeshita é cheia de pequenas lojas e é considerada o point dos jovens no Japão.

Todos os dias atrai dezenas de milhares de turistas estrangeiros.

Ao contrário de outras grandes cidades, o Ano Novo em Tóquio é bastante moderado.

Não há um grande show de fogos de artifício ou um ponto central para as pessoas se reunirem para comemorar.

Os japoneses geralmente passam o final do ano como uma família e vão aos templos para orar pelo Ano Novo.

 

Últimas de Mundo & Ciência