Reino Unido apoia ideia de sanções contra 'cleptocratas' na Venezuela

Ministros das Relações Exteriores da União Europeia participam em uma reunião informal em Bucareste nesta quinta-feira que deve discutir a situação da Venezuela.

Por AFP

Vários países europeus anunciaram no sábado um ultimato ao governo de Nicolás Maduro para a convocação de novas eleições em um prazo de oito dias, que expira no próximo domingo
Vários países europeus anunciaram no sábado um ultimato ao governo de Nicolás Maduro para a convocação de novas eleições em um prazo de oito dias, que expira no próximo domingo -

Londres - O governo britânico não respalda sanções a nível europeu contra a Venezuela como país para não agravar a situação humanitária, mas apoia ações contra certos indivíduos que considera "cleptocratas", afirmou o chanceler Jeremy Hunt sem revelar nomes.

"Não estamos considerando sanções contra todo o país porque há uma situação humanitária e não queremos piorá-la ainda mais. Mas as sanções seletivas contra os cleptocratas que enriqueceram às custas do restante da população, que é muito pobre, é algo que acredito que pode ser eficaz", afirma em um comunicado.

Os ministros das Relações Exteriores da União Europeia participam em uma reunião informal em Bucareste nesta quinta-feira que deve discutir a situação da Venezuela.

"Não espero que uma decisão seja tomada nesta tarde, mas uma das coisas que UE faz com frequência nestas circunstâncias é impor sanções às pessoas que são responsáveis por algumas das piores coisas que podem acontecer", explicou.

Vários países europeus anunciaram no sábado um ultimato ao governo de Nicolás Maduro para a convocação de novas eleições em um prazo de oito dias, que expira no próximo domingo.

Maduro se recusou a convocar eleições presidenciais e sugeriu apenas uma antecipação das legislativas, previstas para 2020.

Comentários