Clima continua tenso na Bolívia mesmo com presidente interina

Medo ainda toma as ruas de La Paz

Por ESTADÃO CONTEÚDO

Bolívia passa por período conturbado após renúncia de Evo Morales
Bolívia passa por período conturbado após renúncia de Evo Morales -
Bolívia - A proclamação da senadora de oposição Jeanine Áñez como presidente interina da Bolívia e a ida do ex-presidente Evo Morales para o México não foram suficientes para acalmar os ânimos em La Paz.

Na madrugada desta quarta-feira, o medo ainda tomava as ruas da cidade. En El Alto, reduto de apoiadores de Evo, o bloqueio que já dura três dias à saída do aeroporto, o principal do país, foi mantido. Havia dezenas de barricadas, fogueiras ou cordões impedindo o trânsito de veículos. Pedras e pedaços de pau usados em confrontos com as forças de segurança continuavam espalhados pelas vias.

Poucos táxis circulavam pela região. Dezenas de pessoas preferiram dormir no chão do aeroporto a enfrentar o risco de passar pelos bloqueios. Os que se atrevem, são obrigados a desviar por ruas secundárias e vielas em trajetos que levam o dobro do tempo normal.

Já nas proximidades da região central da capital boliviana, as barricadas são organizadas por moradores e comerciantes que tiveram suas casas e estabelecimentos invadidos e saqueados por vândalos e se revezam em vigílias em torno de fogueiras armados com barras de ferro e tacos de beisebol. Nestes pontos é possível negociar a passagem. Em alguns bloqueios, os organizadores pedem para revistar os carros.

"É que tem gente se aproveitando para trazer coquetéis molotov e outros explosivos", disse um homem encapuzado que não quis se identificar.

Aumento no preço dos alimentos

A dificuldade de transporte faz com que os preços de alguns alimentos tenha aumentado. Apesar da promessa de produtores de manter o abastecimento nas principais cidades, alguns itens básicos estão em falta. Há a desconfiança de que distribuidores e comerciantes tenham escondido produtos para lucrar com a crise

"Tem gente inescrupulosa escondendo alimentos. Isso aumenta o risco de saques e prejudica os comerciantes honestos", afirmou o homem encapuzado.

Segurança

Embora as Forças Armadas e a Polícia tenham anunciado na segunda-feira a realização de ações conjuntas para garantir a segurança da população, durante a madrugada quase não se via policiais nas ruas.

Na zona sul de La Paz, onde ficam os bairros ricos, hotéis sofisticados funcionam com as portas fechadas e as luzes apagadas para não chamar a atenção. Os hóspedes têm que entrar por portas laterais e são orientados a não ficar nas ruas.

Diante das ameaças de uma invasão a qualquer momento de apoiadores de Evo contrários à proclamação de Jeanine, alguns hotéis colocaram tapumes de madeira na entrada. Líderes das manifestações que levaram à renúncia do presidente deixaram os hotéis e foram se refugiar em casas particulares, mais discretas.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários