Morre no Nepal, aos 27 anos, o homem mais baixo do mundo

Com a morte de Magar, o colombiano Edward "Niño" Hernández, um DJ de reggaeton com 70,21 centímetros de altura, retomou o título de homem mais baixo do mundo com mobilidade, indicou o Guinness

Por AFP

Khagendra Thapa Magar
Khagendra Thapa Magar -
O homem mais baixo do mundo capaz de caminhar, segundo o livro Guinness dos Recordes, morreu, nesta sexta-feira, no Nepal, informou sua família.
Khagendra Thapa Magar, que media 67,08 centímetros, faleceu devido a uma pneumonia em um hospital de Pokhara, a 200 quilômetros de Katmandu, onde morava com os pais. Ele tinha 27 anos.
"Entrava e saía do hospital por causa da pneumonia. Mas desta vez, seu coração também estava mal. Morreu hoje", disse à AFP Mahesh Thapa Magar, seu irmão.
Com a morte de Magar, o colombiano Edward "Niño" Hernández, um DJ de reggaeton com 70,21 centímetros de altura, retomou o título de homem mais baixo do mundo com mobilidade, indicou o Guinness.
Magar foi declarado o homem mais baixo do mundo em 2010, após completar 18 anos, quando foi fotografado exibindo um certificado não muito menor que ele.
Mas em seguida, perdeu o título quando foi descoberto o nepalês Chandra Bahadur Dangi, que tinha 54,6 centímetros, e foi nomeado o homem móvel mais baixo do mundo.
Mas quando Dangui morreu, em 2015, Magar recuperou o recorde.
"Era tão pequenino que quando nasceu, cabia na palma da mão e era difícil dar banho nele por ser tão pequeno", contou seu pai, Roop Bahadur, segundo o Guiness World Records.
Enquanto homem mais baixo do mundo, Magar viajou para mais de uma dezena de países e visitou emissoras de TV da Europa e dos Estados Unidos.
Magar se tornou garoto propaganda de uma campanha de turismo do Nepal, onde aparecia como o menor homem do mundo promovendo um país conhecido por ter a montanha mais alta, o monte Everest.
 
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários