Primeira morte por coronavírus fora da China é registrada nas Filipinas

Mais de 300 mortes já foram confirmadas desde o início do surto de coronavírus no centro da China, mas todas as mortes até agora haviam acontecido no próprio país

Por ESTADÃO CONTEÚDO

Filipinas - O novo coronavírus fez sua primeira vítima fora da China, um chinês de 44 anos nas Filipinas. O número de mortes pela doença superou os 300 e o de infectados se aproxima de 15 mil pelo mundo.

O homem, oriundo da cidade de Wuhan, no centro da China, local onde começou o surto em dezembro, morreu no sábado, informou o Departamento de Saúde das Filipinas neste domingo. Ele era um dos dois casos confirmados nas Filipinas, o outro sendo sua companheira de 38 anos, disseram as autoridades. Ambos haviam chegado ao país em 21 de janeiro, após viajar por Hong Kong.

Mais de 300 mortes já foram confirmadas desde o início do surto de coronavírus no centro da China, mas todas as mortes até agora haviam acontecido no próprio país. Cerca de 150 pessoas fora da China tiveram casos do vírus.

Os dois pacientes nas Filipinas eram tratados em isolamento em um hospital da capital, Manila, disseram as autoridades em seu comunicado. O homem desenvolveu uma pneumonia grave por causa da infecção viral e bacteriana, segundo a nota. Embora ele mostrasse sinais de melhora em dias recentes, seu quadro piorou rápido nas últimas 24 horas.

Autoridades de saúde das Filipinas pediram calma. "Eu gostaria de enfatizar que este é um caso importado e que não há evidência de transmissão local", disse o secretário de Saúde, Francisco T. Duque III. A autoridade afirmou que o governo implementou uma proibição temporária de viagens para pessoas vindas da China continental, de Macau e de Hong Kong. Até o fim do sábado, o número de infecções confirmadas pela China havia chegado a 14 380, com 2.110 casos graves e 304 mortes, informou a Comissão Nacional de Saúde.

Primeira morte por coronavírus fora da China é registrada nas Filipinas

  Tamanho do texto? A  
O novo coronavírus fez sua primeira vítima fora da China, um chinês de 44 anos nas Filipinas. O número de mortes pela doença superou os 300 e o de infectados se aproxima de 15 mil pelo mundo.

O homem, oriundo da cidade de Wuhan, no centro da China, local onde começou o surto em dezembro, morreu no sábado, informou o Departamento de Saúde das Filipinas neste domingo. Ele era um dos dois casos confirmados nas Filipinas, o outro sendo sua companheira de 38 anos, disseram as autoridades. Ambos haviam chegado ao país em 21 de janeiro, após viajar por Hong Kong.

Mais de 300 mortes já foram confirmadas desde o início do surto de coronavírus no centro da China, mas todas as mortes até agora haviam acontecido no próprio país. Cerca de 150 pessoas fora da China tiveram casos do vírus.

Os dois pacientes nas Filipinas eram tratados em isolamento em um hospital da capital, Manila, disseram as autoridades em seu comunicado. O homem desenvolveu uma pneumonia grave por causa da infecção viral e bacteriana, segundo a nota. Embora ele mostrasse sinais de melhora em dias recentes, seu quadro piorou rápido nas últimas 24 horas.

Autoridades de saúde das Filipinas pediram calma. "Eu gostaria de enfatizar que este é um caso importado e que não há evidência de transmissão local", disse o secretário de Saúde, Francisco T. Duque III. A autoridade afirmou que o governo implementou uma proibição temporária de viagens para pessoas vindas da China continental, de Macau e de Hong Kong. Até o fim do sábado, o número de infecções confirmadas pela China havia chegado a 14 380, com 2.110 casos graves e 304 mortes, informou a Comissão Nacional de Saúde. Fonte: Dow Jones Newswires.


Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários