Espanha supera 4 mil mortes por coronavírus e registra mais de 56 mil casos

País é o segundo do mundo com mais vítimas fatais da covid-19, atrás apenas da Itália e na frente da China, onde a pandemia teve início

Por AFP

Profissionais de saúde voltam ao trabalho no Hospital La Fe, em Valencia, em meio ao caos da pandemia
Profissionais de saúde voltam ao trabalho no Hospital La Fe, em Valencia, em meio ao caos da pandemia -
Madri - A pandemia do novo coronavírus provocou mais 655 mortes na Espanha, país que registra 4.089 vítimas fatais e 56.188 casos confirmados, anunciou nesta quinta-feira o ministério da Saúde espanhol em seu balanço diário.

O aumento no número de mortes em 24 horas foi de 19%, menos que na quarta-feira (+27%), quando o país registrou 738 óbitos.
Leia: Jovem precisa ficar com corpo do pai por 16 horas em casa em Madri

A Espanha é o segundo país do mundo com mais vítimas fatais da covid-19, atrás apenas da Itália e na frente da China, onde a pandemia teve início.

Metade das mortes no país (2.090) aconteceu na região de Madri, a mais afetada.

Os novos casos confirmados desta quinta-feira são 8.578, número 18% maior que o registrado na quarta-feira.

Ao mesmo tempo, o ministério anunciou que 7.015 pessoas foram curadas, 30% a mais que na quarta-feira, e 3.679 pacientes precisaram até o momento de internação em unidades de terapia intensiva (UCI).

A propagação da epidemia nos últimos dias saturou os hospitais do país, onde os profissionais da área da saúde trabalham em um clima de grande tensão para administrar o fluxo de pacientes.

"As emergências estão sobrecarregadas no momento", afirmou à AFP por telefone Jorge Rivera, porta-voz do hospital de Leganés, perto de Madri.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O DiaFaça uma contribuição

Comentários

Espanha supera 4 mil mortes por coronavírus e registra mais de 56 mil casos O Dia - Mundo & Ciência

Espanha supera 4 mil mortes por coronavírus e registra mais de 56 mil casos

País é o segundo do mundo com mais vítimas fatais da covid-19, atrás apenas da Itália e na frente da China, onde a pandemia teve início

Por AFP

Profissionais de saúde voltam ao trabalho no Hospital La Fe, em Valencia, em meio ao caos da pandemia
Profissionais de saúde voltam ao trabalho no Hospital La Fe, em Valencia, em meio ao caos da pandemia -
Madri - A pandemia do novo coronavírus provocou mais 655 mortes na Espanha, país que registra 4.089 vítimas fatais e 56.188 casos confirmados, anunciou nesta quinta-feira o ministério da Saúde espanhol em seu balanço diário.

O aumento no número de mortes em 24 horas foi de 19%, menos que na quarta-feira (+27%), quando o país registrou 738 óbitos.
Leia: Jovem precisa ficar com corpo do pai por 16 horas em casa em Madri

A Espanha é o segundo país do mundo com mais vítimas fatais da covid-19, atrás apenas da Itália e na frente da China, onde a pandemia teve início.

Metade das mortes no país (2.090) aconteceu na região de Madri, a mais afetada.

Os novos casos confirmados desta quinta-feira são 8.578, número 18% maior que o registrado na quarta-feira.

Ao mesmo tempo, o ministério anunciou que 7.015 pessoas foram curadas, 30% a mais que na quarta-feira, e 3.679 pacientes precisaram até o momento de internação em unidades de terapia intensiva (UCI).

A propagação da epidemia nos últimos dias saturou os hospitais do país, onde os profissionais da área da saúde trabalham em um clima de grande tensão para administrar o fluxo de pacientes.

"As emergências estão sobrecarregadas no momento", afirmou à AFP por telefone Jorge Rivera, porta-voz do hospital de Leganés, perto de Madri.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O DiaFaça uma contribuição

Comentários