Arcebispo anglicano emérito, vencedor do Prêmio Nobel da Paz em 1984, impôs sua sinceridade para denunciar injustiças e os excessos do poder, independente do alvo da críticaAFP

O ex-presidente Barack Obama, o primeiro presidente negro dos Estados Unidos, lembrou o falecido Desmond Tutu neste domingo, 26, como uma figura crucial e uma "bússola moral" que lutou contra a injustiça na África do Sul e também em outras partes do mundo.
Tutu, laureado como Obama com o Prêmio Nobel da Paz, "foi um mentor, um amigo e uma bússola moral para mim e para muitos outros", disse o ex-presidente dos Estados Unidos em um comunicado.
“Um espírito universal, o arcebispo Tutu inspirou-se na luta pela libertação e pela justiça em seu próprio país, mas também se preocupou com as injustiças em outros lugares”, disse Obama, acrescentando que Tutu sempre buscou “encontrar a humanidade em seus adversários”.
O ex-presidente Jimmy Carter, outro ganhador do Prêmio Nobel, e sua esposa Rosalynn também disseram em um comunicado que "uniram-se ao luto do mundo inteiro". "Seu calor e compaixão nos deixaram uma mensagem espiritual para a eternidade", disseram eles. O arcebispo anglicano morreu neste domingo aos 90 anos.