Campanha militar
Campanha militar "Sinai 2018" começou na sexta-feiraReprodução/AFP
Por AFP

Cairo - Vinte e oito jihadistas foram mortos e 126 foram detidos no norte e centro da península do Sinai como parte de uma operação que começou na sexta-feira no Egito.

A campanha militar, batizada de "Sinai 2018", lançada faltando um mês e meio para a eleição presidencial mobiliza a Aviação e a Marinha, no interior e ao redor do Sinai (leste do país), onde a facção local do grupo jihadista Estado Islâmico (EI) atua. A operação também se estende às regiões do Delta do Nilo (norte) e do deserto ocidental, que faz fronteira com a Líbia.

A operação levou à eliminação de 12 jihadistas armados durante um tiroteio com as forças de segurança, anunciou o porta-voz do Exército Tamer el Refai em um comunicado.

Outros 16 foram mortos neste domingo

Um total de 126 jihadistas foram detidos pelas forças de segurança que destruíram um número idêntico de esconderijos, de acordo com dois comunicados do Exército.

No final de novembro, o presidente egípcio Abdel Fatah Al-Sissi, o único candidato de peso nas eleições de 26 de março, deu três meses às suas forças para restaurar a segurança e a estabilidade no Sinai.

Esta ordem foi dada dias após um ataque em uma mesquita no norte do Sinai que deixou mais de 300 mortos. Este ataque, o mais sangrento da história recente do Egito, não foi reivindicado.

Você pode gostar
Comentários