PF indicia presidente do Grupo Gerdau e mais 18 por corrupção

Empresa é suspeita de sonegar R$ 1,5 bi

Por cadu.bruno

O empresário André Gerdau%2C presidente do Grupo%2C foi indiciado Banco de imagens

Brasília - A Polícia Federal indiciou o empresário André Gerdau e mais 18 investigados em inquérito da 6a fase da Operação Zelotes, que apura irregularidades no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf). O Grupo Gerdau, que atua no ramo siderúrgico, é suspeito de ter tentado sonegar R$ 1,5 bilhão. A PF encaminhou à Justiça Federal, em Brasília, o relatório final do inquérito.

Ligado ao Ministério da Fazenda, o Carf é uma espécie de tribunal administrativo, ao qual os contribuintes recorrem contra multas aplicadas pela Receita. A Zelotes investiga o pagamento de propina a conselheiros e ex-conselheiros do Carf por empresas interessadas em reverter multas milionárias. Para isso, elas contratariam escritórios de advocacia e empresas de consultoria, para fazer a ponte entre os dois lados.

Além de André Gerdau, foram indiciados conselheiros e ex-conselheiros do Carf, advogados e integrantes da diretoria da empresa. Os investigados foram indiciados por crimes de corrupção ativa, corrupção passiva, lavagem de dinheiro e tráfico de influência.

O indiciamento ocorre menos de três meses depois da deflagração da sexta fase da Zelotes. Em fevereiro, o empresário André Gerdau, presidente da siderúrgica, foi alvo de mandado de condução coercitiva.Na ocasião, o advogado Arnaldo Malheiros Filho, que defende Gerdau, afirmou que ‘eles não sonegaram absolutamente nada’.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia