Supremo nega recurso do ex-ministro Edinho Silva na Lava Jato

A defesa do ex-líder da pasta da Comunicação Social não quer que seu cliente seja julgado por Moro

Por lucas.cardoso

Brasília - A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) negou nesta terça-feira recurso do ex-ministro da Comunicação Social Edinho Silva para retirar do juiz federal Sérgio Moro a competência para julgá-lo na Operação Lava Jato.

Os advogados de Edinho recorreram ao STF para anular decisão do ministro Teori Zavascki, que remeteu para a Justiça Federal as investigações após o ex-ministro ter deixado o governo quando a presidenta Dilma Rousseff foi afastada do cargo, em 12 maio deste ano.

Edinho Silva%2C ex-tesoureiro do PT%2C ocupou o lugar deixado por Traumann na pasta da Comunicação SocialDivulgação

Edinho Silva atuou como tesoureiro na campanha presidencial de Dilma em 2014 e foi citado nos depoimentos de delação premiada do empresário Ricardo Pessoa, da empreiteira UTC. Segundo os depoimentos, Silva teria pressionado Pessoa para receber doações para a campanha e dito que a empresa tinha contratos com a Petrobras.

Em 2015, quando as denúncias foram divulgadas, Edinho Silva afirmou que nunca tratou de assuntos relacionados a qualquer empresa e lembrou que as contas de campanha de Dilma foram aprovadas por unanimidade pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia