Maggi minimiza crise da carne brasileira no exterior após operação

Das 762 amostras de produtos recolhidas para análise durante a investigação, 98,68% não apresentavam risco sanitário

Por O Dia

Brasília - O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, disse nesta quarta-feira que os lotes de carne vendidos a outros países após a deflagração da Operação Carne Fraca não apresentaram nenhum problema.

Maggi participou de audiência na Comissão de Agricultura, Pecuária e Abastecimento da Câmara dos Deputados para debater as consequências da operação no setor agropecuário.

Das 762 amostras de produtos recolhidas para análise durante a investigação, 98,68% não apresentavam risco sanitárioEfe

Após a ação da Polícia Federal, que investigou irregularidades em frigoríficos, o ministério recebeu 328 comunicados oficiais de outros países pedindo informações sobre a operação, segundo líder da pasta. O ministro disse que o governo respondeu às demandas com agilidade e a maioria das empresas envolvidas na operação voltou a funcionar logo após a correção das falhas verificadas.

Assim que foi deflagrada a  Operação da Carne Fraca, alguns países fizeram restrições em relação à exportação de carnes do Brasil, mas depois da intensa fiscalização, os principais compradores de carnes já derrubaram as limitações e voltaram a comprar o produto brasileiro.

Das 762 amostras de produtos recolhidas para análise durante a investigação, 98,68% não apresentavam risco sanitário, segundo Maggi. “Claro que existem as particularidades de cada país, que fazem suas exigências, mas a qualidade da carne é a mesma.”

O ministro irá aos Emirados Árabes, Kuwait, Arábia Saudita e Catar para apresentar explicações sobre a carne brasileira e assegurar a manutenção desses mercados, que estão entre os principais importadores de frango brasileiro.

Últimas de Brasil