Caso Daniel: outro vídeo mostra Brittes conversando com dois suspeitos

Delegado responsável pelo caso, Amadeu Trevisan, disse que a família marcou encontro em um shopping perto de Curitiba para fechar uma versão sobre o crime

Por O Dia

Vídeo de câmera de segurança em praça de alimentação mostra Edison Brittes, na presença da filha e da mulher, conversando com dois suspeitos. O terceiro chegaria em seguida
Vídeo de câmera de segurança em praça de alimentação mostra Edison Brittes, na presença da filha e da mulher, conversando com dois suspeitos. O terceiro chegaria em seguida -

Rio - Um outro vídeo divulgado pela Polícia Civil do Paraná mostra Edison Brittes, assassino confesso de Daniel Freitas, conversando com dois suspeitos, em seguida chegaria o terceiro. O delegado responsável pelo caso, Amadeu Trevisan, disse que a família Brittes marcou o encontro em um shopping perto de Curitiba para fechar uma versão sobre o crime. Os seis envolvidos no crime estão presos: Edison Brittes, sua mulher, Cristiana Brittes, a filha do casal, Alana Brittes, o primo de Cristiana, Eduardo Henrique da Silva, Ygor King e David Willian da Silva. A família Brittes também será indiciada por coação de testemunhas, além de homicídio triplamente qualificado.

O registro é anterior às imagens divulgadas neste domingo pelo programa Fantástico da TV Globo, em que a família Brittes aparece com os três suspeitos na praça de alimentação. A reunião se deu dois dias após o assassinato. No depoimento, Edison disse que Cristiana e Alana não teriam ficado com os rapazes neste encontro, o que é contrariado pelas imagens.

Em depoimento nesta segunda-feira, Eduardo Henrique da Silva, 19 anos, suspeito de ter participado da morte do jogador, de 24 anos, revelou que a ideia inicial era castrar o meia e não matá-lo. Segundo o advogado do suspeito, Edson Stadler, ele e outras duas pessoas estiveram com Edison Brittes, autor do crime, durante todo o trajeto até a área rural em São José dos Pinhais. As informações são da "RPC". Em áudio divulgado neste domingo, Daniel pede ajuda a amigo e diz que tem coroa e novinha dormindo sem namorado e marido. Ouça ao longo desta reportagem.

Eduardo Henrique da Silva é primo de Cristiana Brittes, esposa de Edison. Ele foi foi preso preventivamente em Foz do Iguaçu, onde mora, e prestou depoimento na delegacia da Polícia Civil de São José dos Pinhais na manhã desta segunda.

O advogado afirmou que, em depoimento, Eduardo teria saído da casa de Edison com Daniel no porta-malas da camionete e que a intenção era de castrá-lo e depois abandonar o jogador. Estavam também no carro Ygor King, de 19 anos, e David Willian da Silva, de 18, ambos também presos preventivamente e que já prestaram depoimento.

Segundo o delegado Amadeu Trevisan, a ordem dos fatos e a definição se Daniel foi mutilado antes ou depois de sua morte depende dos laudos do Instituto Médico Legal (IML). Edison Brittes teria se transformado ainda mais violento depois de checar o celular de Daniel e ver fotos que o jogador enviou para um amigo, onde a esposa aparecia com ele na cama. Quando parou o carro, segundo o advogado de Silva, o assassino teria ido até o porta-mala e, ao invés da intenção de mutilar, o atacou com golpes de faca no pescoço. Depois teria cortado o órgão genital de Daniel.

 

Últimas de Brasil