Recuo estratégico

Governo Bolsonaro cede à pressão dos empresários da área de serviços e pisa no freio na Reforma Tributária do Executivo

Por O Dia

Pastor Everaldo na campanha de Wilson Witzel
Pastor Everaldo na campanha de Wilson Witzel -
O barulho do empresariado dos serviços ecoou no Palácio. O governo Bolsonaro recuou da tentativa de acelerar a Reforma Tributária do Executivo e pediu para retirar o regime de urgência para o projeto de lei que cria a Contribuição sobre Bens e Serviços, tributo que unifica PIS-Cofins criando uma alíquota de 12% para o setor e que trancava a pauta de plenário da Câmara a partir de hoje. Os deputados não poderiam mais votar outras propostas até que essa parte da reforma fosse deliberada.
A granel
O governo quer mandar uma reforma fatiada e uma das propostas inclui a criação de um novo tributo sobre transações digitais para compensar a desoneração da folha.
Cidadania
O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) tem registrado considerável aumento de interessados em serem mesários na eleição de novembro.
Acervo na estante
Por falar no TSE, a biblioteca da Corte eleitoral acaba de ganhar mais de cinco mil livros doados pela família do ex-ministro José Guilherme Villela, assassinado em 2009.
OVNI do marqueteiro
Os custos da atividade partidária do PSC estão no foco desde que seu principal dirigente, o Pr. Everaldo (FOTO), foi preso na mesma operação que apeou do cargo o então governador afastado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel. Entre eles, figura o pagamento de R$ 1,7 milhão feito ao marqueteiro argentino Jorge Gerez, que cuidou da campanha de Pr. Everaldo à Presidência em 2014. A produtora de vídeo OVNI, vinculada a Gerez, também recebeu uma quantia semelhante.
Rodas desgovernadas
A briga surda entre o empresariado e o governo de Pernambuco causa crise sem precedentes nos transportes do BRT na Região Metropolitana do Recife. Os usuários estão prejudicados, pois metade das 42 estações foi depredada por vândalos. A PM parou de fazer a escolta dos veículos e linhas tiveram a operação reduzida. Ninguém assume a responsabilidade.

De quem entende
O cientista político Antônio Lavareda diz que a eleições nas capitais serão nacionalizadas. A pandemia, a crise econômica e a polarização política serão temas prioritários nas campanhas. Ele é autor de um terceiro livro sobre eleições municipais, lançado no último dia 2, com a também cientista política Helcimara Telles.
DPU ferve
A Defensoria Pública da União (DPU) tem uma velada e acirrada disputa pelo comando do órgão. Envolve até implicância com um candidato que é contra o aborto.
Peso do malhete
Passa um calvário numa penitenciária do Piauí, para onde voltou a mando da Justiça, o jornalista Arimatéia Azevedo, suspeito de extorsão. Ele provocou muito o Judiciário.
‘Seu’ Marcelo
Marcelo Rebelo de Sousa, o presidente português, ganhou manchetes recentes ao salvar duas meninas numa praia do Algarve quando passeava de jet ski. Não é surpresa para leitores da coluna em Lisboa que o conhecem. Rebelo dirige o próprio carro, entra na fila de supermercados e almoça entre comuns num tradicional restaurante lisboeta.

Esplanada
# Estudo da ONG World Vision aponta que 61% das pessoas entrevistadas em sete países doadores acreditam que seus governos devem investir em ações globais contra covid-19. 

Comentários