Foto: reprodução

A categoria vivenciou um período de intensa demanda e, ao mesmo tempo, cercado de incertezas frente a um vírus até então desconhecido. Dada a celeridade no contágio e gravidade da doença em alguns casos particulares, estar à frente da equipe de combate ao contágio pode ser algo visto como um ato heróico.
Primeira enfermeira de Pernambuco a receber a vacina contra o coronavírus, Renata Aburime ressalta a falta de suporte notada na área da enfermagem: “observamos uma incidência de profissionais desvalorizados em meio a uma pandemia e no enfrentamento de problemas de saúde de modo geral”, explica a enfermeira.
Vivendo uma realidade um tanto quanto distinta no cenário internacional, especialmente no que diz respeito a assuntos profissionais, Renata Aburime enfatiza a importância de ampliar o olhar dos profissionais da área da saúde: “sofri muitos assédios sendo enfermeira no Brasil, jornadas de trabalho exaustivas e desvalorização. Hoje conheço um outro lado e busco incentivar meu colegas de profissional a sempre buscarem as melhores oportunidades”, relata a enfermeira.
O desejo de dar um novo significado à enfermagem por meio da valorização profissional é o que motiva a enfermeira e influencer a cada vez mais buscar dar visibilidade ao papel do enfermeiro: ‘ajudo enfermeiros a atuarem nos Estados Unidos através do meu método VRA de ensino”, pontua Renata Aburime.
Por meio do Instagram (@enfermeiranoseua) e YouTube (/RenataSAburime), a enfermeira exerce importante papel na busca pelo reconhecimento profissional para enfermeiros, tão necessário a este momento: “aprovação de piso salarial decente, carga horária adequada e quantidade de material adequado para oferta da mão de obra são pontos de partida relevantes”, finaliza a enfermeira.
Você pode gostar
Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor.