Um dos serviços que pode ser obtido pelo portal é a Carteira de Trabalho digital - Agência Brasil
Um dos serviços que pode ser obtido pelo portal é a Carteira de Trabalho digitalAgência Brasil
Por MARTHA IMENES
A retomada do atendimento em alguns postos do INSS, que reabriu unidades há quase um mês, está longe de resolver os gargalos no atendimento e dar conta das perícias médicas. O projeto sobre a implantação do sistema de telemedicina, recomendado pelo Tribunal de Contas da União, que deveria ser apresentado no último dia 2 foi adiado e não tem data definida. Criado para ser uma "mão na roda" para facilitar a vida de segurados, o portal Meu INSS oferece 90 serviços por meio digital, mas para acessar a plataforma é preciso criar login e senha no portal gov.br do governo federal. O DIA fez um passo a passo para mostrar como fazer o cadastro no portal do governo, criar login e senha de acesso e, caso esqueça a senha, como recuperar.
Além do Meu INSS, na plataforma governamental é possível acessar documentos, fazer solicitações, pegar certidões, eliminar papel - como as carteiras de habilitação, documentos de veículos automotores -, entre tantos outros documentos. Atualmente, segundo o governo federal, 80 milhões de pessoas estão cadastradas. Para se ter uma ideia, de 3,8 mil serviços oferecidos, 60% estão digitalizados.

"É possível receber atendimento inteiramente online pelo gov.br em vez de procurar o atendimento presencial ou telefônico em órgãos públicos", explica o secretário especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do Ministério da Economia, Caio Mario Paes de Andrade.

Auxílio-doença
Um dos serviços que têm levado segurados aos postos é a solicitação de auxílio-doença, que pode ser antecipado. Nestes casos ele é limitado a um salário mínimo (R$ 1.045). No momento do requerimento via Meu INSS ou central 135, o segurado poderá fazer a opção pelo agendamento da perícia médica para a concessão do auxílio por incapacidade temporária em uma das unidades de atendimento da Perícia Médica Federal cujo serviço de agendamento esteja disponível, ou optar pela antecipação.

Para requerer a antecipação do auxílio-doença o segurado deve enviar, pelo Meu INSS, o atestado médico e a declaração de responsabilidade pelos documentos apresentados. Após isso, o atestado passará por análise de conformidade pela perícia médica para concessão da antecipação, caso cumpridos seus requisitos.

Biometria facial já está na plataforma
Um dos serviços que poderá ser feito em todo país pela plataforma gov.br, mas ainda está em fase de implantação, é a prova de vida do INSS por biometria facial. Desde agosto está em curso um projeto-piloto para que os aposentados realizem a prova de vida, exigida anualmente, de forma online, pelo reconhecimento facial do gov.br. No Estado do Rio de Janeiro 32 mil pessoas serão convidadas a participar do projeto. O balanço ainda não foi divulgado pelo INSS.

O aposentado Mauro Elysio Tavares de Mello, 56 anos, de Niterói, no Rio de Janeiro, foi um dos convidados: "Em razão da pandemia, imaginei que o governo iria editar algum normativo, alguma mudança no critério, a fim de que as pessoas não precisassem se expor em filas para fazer a prova de vida. Num pandemônio como é com filas, eu não iria me expor, não". "Foi uma medida extremamente positiva fazer a prova de vida pelo celular", avalia o aposentado.

Os segurados que participarem desta modalidade de atendimento não vão precisar fazer a prova de vida deste ano. O teste com a biometria já vale.

Prazo para prova de vida está suspenso até outubro
Aposentados e pensionistas do INSS devem ficar atentos: o prazo para o recadastramento anual acaba dia 31 de outubro por conta da pandemia de coronavírus. A exigência é prevista em lei e determina que além dos beneficiários do INSS, servidores aposentados e anistiados também comprovem que estão vivos. O segurado que não fizer o recadastramento corre o risco de ter o benefício suspenso.

A comprovação anual é realizada todo ano no mês do aniversário do segurado, ou em 12 meses passados da última comprovação de vida, na agência bancária onde recebe o benefício. Para isso, basta apresentar um documento de identificação com foto, como identidade ou Carteira de Trabalho, por exemplo.

De acordo com a página do INSS na internet, algumas instituições financeiras que possuem sistemas de biometria estão utilizando essa tecnologia para realizar a comprovação de vida nos terminais de autoatendimento. Esse procedimento é obrigatório para todos que recebem seus pagamentos por meio de conta corrente, conta poupança ou cartão magnético.
Publicidade
Dicas para ensinar a criançada a poupar

Exemplo é tudo
A criança está atenta à forma como os adultos lidam com o dinheiro. Como não resistir a uma vitrine, gastar demais no cartão de crédito, por exemplo. Para ensinar é preciso praticar, cuide dos seus hábitos.

Aula no supermercado
Leve os pequenos para participarem das compras da casa, além de ser um momento para dividirem como família, é também o momento de ensinar sobre consumo consciente e promoções. Mas atenção: não vá com fome ao supermercado, isso faz com que se gaste mais que o necessário.

Doe o que não usa
Ensinar a doar aquilo que não precisa mais, ensina o valor das coisas, além de criar uma criança mais generosa. Sempre que comprar uma coisa nova, lembre de doar outra que já não usa mais.

Olha o cofrinho!
Estimule a criança a guardar moedas para que ela aprenda que a economia é importante para essas realizações de sonhos. Se não tiver como comprar um porquinho, pegue uma garrafa pet e faça um quadradinho que dê para passar uma moeda de R$ 1. Ganhou um troco? Guarde.

Diga não
Dizer não ajuda a criança a perceber que o dinheiro não está o tempo todo à sua disposição, e que é preciso usá-lo com consciência. Se não pode comprar, diga não e não volte atrás.

Dinheiro não é tudo
Faça passeios baratos, como parques, exposições gratuitas, eventos abertos, é importante que a criança não associe as boas lembranças apenas a momentos relacionados ao dinheiro. Lembre: amor e carinho são de graça.

Outras economias
Ensine aos pequenos a importância de economizar água, energia e a não desperdiçar comida, bons hábitos também geram economia.