Espiã russa é presa nos EUA por influenciar política americana

Maria Butina, de 29 anos, é acusada de criar laços com grupos políticos, sem esclarecer que trabalhava para governo russo

Por AFP

Maria Butina: influência mo Partido Republicano, segundo investigadores
Maria Butina: influência mo Partido Republicano, segundo investigadores -

Washington - Uma mulher russa de 29 anos foi presa por conspiração por influenciar a política americana criando laços com grupos políticos, como o lobby das armas National Rifle Association (NRA).

Maria Butina foi presa em Washington neste domingo, disse em nota o Departamento de Justiça.

Butina foi acusada de atos conspiratórios como agente da Rússia "por desenvolver relações com pessoas americanas e se infiltrar em organizações com influência na política americana", afirma o comunicado.

O texto explica que Butina descumpriu a lei americana por não esclarecer que ela trabalhava para o governo russo.

O Departamento de Justiça disse que Butina tinha laços próximos com um "oficial russo" não identificado. A imprensa aponta que seja o político Alexander Torshin, alto funcionário do Banco Central da Rússia e ex-parlamentar.

Segundo as autoridades americanas, as atividades de Butina eram levadas ao "oficial russo".

Os dois teriam tentado desenvolver relações com políticos americanos para criar um canal paralelo de linhas de comunicação que podia ser "usado pela Federação Russa para penetrar no aparato de tomada de decisões americano".

Entre as relações que Butina teria forjado estão laços com a NRA, uma aliada próxima do partido Republicano.

Últimas de Mundo & Ciência