Vice-presidente do Afeganistão sobrevive a atentado do Talibã

No Twitter, um porta-voz talibã reivindicou o ataque e afirmou que quatro guarda-costas de Dostum tinham sido assassinados

Por AFP

Clima é tenso no Afeganistão, que vive série de ataques
Clima é tenso no Afeganistão, que vive série de ataques -

Afeganistão - Os combatentes do Talibã atacaram, neste sábado, um comboio que transportava o vice-presidente do Afeganistão, Abdul Rashid Dostum. Ele saiu ileso, mas um de seus guarda-costas morreu, segundo um funcionário.

Enayatullah Babur, ex-chefe de pessoal de Dostum, disse que o ataque de um hora também deixou outros três feridos. O ataque ocorreu na província de Balkh, ao norte do país, onde Dostum tinha feito um comício mais cedo.

No Twitter, um porta-voz talibã reivindicou o ataque e afirmou que quatro guarda-costas de Dostum tinham sido assassinados.

Dostum, poderoso líder étnico uzbeque, é famoso no Afeganistão por ser considerado um caudilho que cometeu graves barbaridades e trocou de lado várias vezes em 40 anos de conflito.

O ataque ocorreu um dia após nove policiais afegãos terem sido mortos em na tomada simultânea pelo Talibã de dois postos de controle na cidade de Ghazni, no leste do país, segundo foi informado também neste sábado.

Esse ataque começou na sexta-feira, quando os insurgentes islamitas emboscaram um grupo de policiais, matando o chefe da polícia local, informou à AFP o porta-voz da polícia de Ghazni, Ahmad Khan Seerat.

O porta-voz afirmou que outros seis policiais ficaram feridos. Este balanço foi confirmado pelo porta-voz do governador de Ghazni, Arif Noori. O ataque dentro desta cidade de cerca de 300.000 habitantes reflete os riscos enfrentados pelas forças de segurança locais em postos de controle vulneráveis.

Em sua conta no Twitter, o Talibã, conhecido por aumentar os números sobre as perdas de seus oponentes, afirmou ter matado 12 "soldados".

Também na sexta-feira, na província de Zabul (sul), quatro policiais foram assassinados e outros dois ficaram feridos por um "talibã infiltrado" que abriu fogo contra um posto de controle, de acordo com o porta-voz do governador, Gul Islam Seyal.

Esses ataques ocorrem quando os Estados Unidos buscam negociar um acordo de paz entre o Talibã e o governo de Cabul, mais de 17 anos após a intervenção americana contra os combatentes islamitas no poder.

Comentários