George Floyd foi morto asfixiado por um policial em Minnesota, nos Estados Unidos
George Floyd foi morto asfixiado por um policial em Minnesota, nos Estados UnidosReprodução Facebook
Por AFP
Washington - A acusação e a defesa encerraram nesta quinta-feira (15) a convocação de suas testemunhas no processo contra Dereck Chauvin, acusado pela morte de George Floyd no ano passado nos Estados Unidos, e assim o julgamento passa à sua fase final na próxima segunda-feira.
Chauvin, um ex-policial branco de 45 anos, enfrenta acusações de assassinato e homicídio culposo após imobilizar Floyd colocando o joelho em seu pescoço por nove minutos, em 25 de maio.
Publicidade
Esta imagem foi capturada em vídeo e gerou uma onda de protestos contra a brutalidade policial e o racismo nos Estados Unidos e no mundo.
Nesta quinta-feira, Chauvin optou por aderir à quinta emenda da constituição e não testemunhar no julgamento.
Publicidade
Seus advogados defendem que a morte foi causada por traços de drogas no sangue e outros fatores de saúde de Floyd.
No entanto, vários especialistas médicos convocados pela promotoria alegaram que a morte de Floyd foi devido a "baixos níveis de oxigênio" causados pela compressão no pescoço.
Publicidade
Além disso, os promotores citaram vários policiais que indicaram que havia uso excessivo da força e a chefe a polícia de Minneapolis, Medaria Arradondo, alegou que Chauvin violou as políticas ensinadas nos treinamentos e também os "valores" da instituição.