Cuidado com o frio

Com termômetro em queda e ar mais seco, as alergias aumentam. Mas prevenções adotadas no dia a dia podem evitar doenças

Por

-

Rio - Com a queda nas temperaturas, não são a gripe e o resfriado vêm à tona. As alergias, como a asma, rinite e sinusite, também pioram nessa época. Além disso, a pele fica mais sensível e suscetível a irritações. Segundo a médica Renata Scatena, especializada em imunização, no outono e inverno, o ar está mais seco e frio, o que deixa a mucosa nasal mais irritada, além de baixar a imunidade do organismo. Essa combinação é o que aumenta a probabilidade das crises alérgicas.

"O número de pacientes com alergia no consultório cresce cerca de 50% nessa época, principalmente porque as pessoas esperam ter crise para procurar o médico, quando o tratamento já deveria ter começado. Alergia não tem cura, precisa sempre de acompanhamento", disse Renata.

A médica explica ainda que cada pessoa tem o seu fator predisponente para ter a crise alérgica, mas alguns gatilhos são a permanência em lugares aglomerados e fechados, e as roupas de cama e o colchão úmidos. "Em ambientes pouco ventilados e pouco ensolarados existe a maior proliferação de ácaros, principal agente causador das alergias respiratórias".

Os sintomas das alergias são variados e muitas vezes parecidos, por isso também a importância do especialista para realizar o diagnóstico. "Os principais são tosse, obstrução nasal, coceira nos olhos, ouvido e nariz", esclareceu Renata.

Já em relação a pele, a dermatologista Denise Steiner esclarece que os problemas dermatológicos têm relação com o ressacamento. "Hábitos como banhos mais quentes e demorados removem a oleosidade natural da pele, e nessa época suamos e produzimos menos sebo. A prevenção é a hidratação". As alergias mais comuns são o equisema, quando a pele coça e fica avermelhada, formando feridas; a demartite, tanto nas mãos quanto no couro cabelo que descamam e a psoríase, que geralmente piora nessas estações do ano".

Vacina contra gripe vai até sexta

Drauzio palestrou sobre o tema - Divulgação

A vacina é a melhor prevenção para gripe. Na quinta-feira, o médico Drauzio Varella, reforçou a importância da imunização em uma palestra feita na Drogaria Pacheco. "É uma doença que não deve ser subestimada. O vírus da gripe é muito mutante, por isso a importância de se vacinar todo ano. No outono e no inverno, a umidade do ar diminui, as pessoas ficam mais confinadas, então os vírus são transmitidos mais facilmente", explicou. A campanha de vacinação contra a influenza vai até sexta-feira. Após sete dias de sintomas de febre, dor no corpo e dificuldade respiratória, o paciente precisa procurar um médico.

Comentários