Aspecto das unhas pode alertar para doenças e alterações de saúde

De diabetes, insuficiência cardíaca, anemia e até câncer de pele, o aspecto e o formato das unhas podem indicar uma série de doenças e alterações sistêmicas

Por O Dia

-

Geralmente associada à estética feminina, as unhas têm a função de proteger as extremidades dos dedos das mãos e dos pés de diversos tipos de trauma, e ainda podem ser um alerta a problemas de saúde. De diabetes, insuficiência cardíaca, anemia e até câncer de pele, o aspecto e o formato das unhas podem indicar uma série de doenças e alterações sistêmicas. Mas para ter um diagnóstico preciso, é fundamental procurar um médico.

Segundo a dermatologista Teresa Noviello, os sinais nas unhas merecem sempre avaliação. "A aparência ideal é uma unha lisa, brilhante, que cresce de forma linear, sem manchas ou descamações. Já a espessura depende de cada pessoa, mas muito grossas podem indicar presença de fungos", explicou.

Formada por três camadas queratinosas de consistências diferentes, as unhas são responsáveis por mais de 10% das afecções de pele. Quando fracas e quebradiças, por exemplo, podem sinalizar alterações na tireoide, ou deficiência de ferro no organismo, a chamada anemia, que também influencia na queda de cabelo. Já frágeis, com descolamento ou escamação, pode ser indício de distúrbio digestivo.

As unhas com tom amarelado, textura espessa e crescimento lento, podem caracterizar doenças no pulmão e no intestino. No caso de brancas e avermelhadas, doenças nos rins. O problema também pode surgir após sessões de quimioterapia.

Com depressões e furos, as possibilidades incluem diferentes problemas de pele, como a psoríase. Ao apresentar pequenas manchas roxas, é um alerta para o perigo de doenças infecciosas graves, como a meningite e a septicemia. Elas acontecem quando uma infecção bacteriana em outra parte do corpo, como pulmões ou pele, consegue se espalhar pela circulação sanguínea.

De todos os sinais indicados pelas unhas, no entanto, o que mais precisa de atenção são manchas marrom-enegrecidas, que pode indicar tanto uma micose quando um melanoma, um tipo de câncer. "A doença é agressiva e pode facilmente se disseminar. O problema pode surgir inicialmente na forma de faixas longitudinais escuras. O melanoma é motivo de suspeita quando essas faixas apresentam diferentes tonalidades e espessuras, e ainda, se possuem pigmento escuro na cutícula", afirmou a dermatologista Luciana Maluf.

Membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e coordenadora do Centro de Estudos de Unhas da Santa Casa, Andrea Leverone reforça que qualquer condição que altere o aspecto natural das unhas é imprescindível a consulta com um médico para um diagnóstico preciso. Como dicas para deixar as unhas fortes e saudáveis, a especialista indica usar removedor de esmaltes em vez de acetona, passar hidratante diariamente, usar luvas ao manusear produtos de limpeza, além de retirar o mínimo possível de cutícula, pois ela protege a unha.

Comentários