Sauna a céu aberto

Enquanto os banhos vaporizados trazem benefícios ao organismo, o calor escaldante nas ruas, com termômetros acima dos 40º, podem agravar problemas no coração

Por Felipe Rebouças*

Rio - Calor excessivo, transpiração e oxigênio escasso. No contexto do verão carioca, em que a temperatura ultrapassa 40 graus, é difícil identificar se essas sensações se tratam de uma sauna convencional ou das ruas da cidade. Enquanto a permanência em salas quentes apropriadas resultam em benefícios ao organismo, passar mais de 20 minutos no sol escaldante, no verão, pode agravar de maneira silenciosa os problemas do coração, entre aqueles pacientes que têm dor torácica, conforme estudo publicado no American Journal of Medicine.

Criada em cavernas por nômades que habitavam a Finlândia há 9 mil anos, a sauna é uma grande aliada para tratar a saúde do coração. É o que dizem os pesquisadores da Universidade Oriental do país, que acompanharam mais de dois mil homens durante 20 anos e constataram que as sessões de banhos vaporizados podem aumentar a vascularização do organismo e evitar problemas cardíacos, como o infarto.

De acordo com o estudo, as pessoas observadas que fizeram de quatro a sete sessões de sauna, de 35 minutos por semana, reduziram as chances de complicações no coração em 63%, em relação aos que não frequentaram a sala quente. No entanto, "é importante obedecer o tempo estipulado de 30 a 40 minutos, especialmente os idosos e cardiopatas", alerta o cardiologista Emílio Cesar Zilli. A explicação para a benesse está em ganhos nas funções do endotélio, fino tecido que reveste o interior de veias e artérias, responsável por aumentar ou diminuir o calibre desses tubos. "A sauna é indicada para dilatar os vasos, pois ao transpirar o indivíduo melhora a circulação e a pressão arterial", explica o presidente do Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio, Sylvio Provenzano.

Além da prevenção, as saunas ajudam a limpar a pele, abrir as vias nasais, fortalecer o sistema imunológico, agir como relaxante em quadros de tensão e estresse e aliviar lesões musculares e reumáticas. A prática também tem a capacidade de estimular as glândulas endócrinas, que são importantes para a regulação do humor e da atividade sexual.

Em contrapartida, a exposição excessiva ao sol pode trazer danos a longo prazo. Segundo estudo da American Journal of Medicine, publicado no mês passado, as saunas a céu aberto, como são consideradas as cidades brasileiras no verão, podem desenvolver problemas oriundos de elevação da pressão arterial, como arritmia cardíaca e hipertensão. "Atualmente, 31% da população brasileira é hipertensa, e desses, 50% não foi diagnosticado", informou Sylvio.

Em dias que a temperatura ambiente supera os 36,7º do organismo humano, sobretudo de 11h às 16h, o cuidado deve aumentar. "A cada 25 minutos de exposição solar, 50 minutos na sombra", aconselha Zilli. "Além de manter-se bem hidratado, é claro". Nesse caso, a desidratação atinge especialmente os bebês. "É uma preocupação quando uma pessoa perde apenas 3% da água do corpo. Para um bebê de 2,2 kg, isso se traduz em apenas 236 ml (cerca de um copo de água)", detalha Patrícia Ruffo, nutricionista da Abbott no Brasil.

Radialista: banho a vapor há 30 anos

"Sou um jovem senhor", diz o radialista Antônio Carlos, de 81 anos, líder de audiência na Rádio Tupi, que frequenta saunas a vapor há pelo menos três décadas.

"Eu gosto de ir à sauna pra relaxar, trocar papo com os amigos, passar o tempo livre. É sempre muito agradável", conta o radialista.

Apesar da idade avançada, ele lembra que sempre há tempo para mudar a rotina. "A gente faz o tempo, só depende de nós", afirma.

"Se alimentar bem, não comer demais e tentar caminhar pelo menos 15 minutos por dia é a dica que dou para viver bem, com saúde", recomenda o locutor octogenário que esbanja boa forma física e entusiasmo para entrar no ar às 6h, de segunda a sexta.

CUIDADOS

SAUNA

Quem tem a pressão controlada por medicamento vasodilatadores deve ficar somente de quatro a cinco minutos.

Sauna seguida de ducha (choque vascular) não é indicado para quem tem pressão alta; para quem não tem nenhum problema, é indicado deixar passar alguns minutos.

Pessoas com arritmia cardíaca podem ter taquicardia reflexo caso exagerem na dose (além dos cinco minutos).

Pessoas que tem falta de sódio no organismo devem evitar a sauna porque o costume pode decretar uma queda ainda maior do sal.

Se hidratar depois da sauna: "com água, não com álcool", lembra Zilli.

Evitar jejum e excesso alimentar.

Não ultrapassar 1 hora de sauna.

EXPOSIÇÃO AO SOL

Intermitência de 2 para 1: a cada 30 minutos exposto ao sol com temperatura superior à temperatura corporal, 1h hora na sombra.

Hidratação.

Protetor solar fator 30 antes de ir à praia e após cada mergulho.

*Estagiário, sob supervisão de Angélica Fernandes

Comentários