Terapia Ortomolecular equilibra o corpo e ajuda a combater doenças

Heloísa Bernardes é pioneira do método no Brasil e dá dicas contra a Covid-19

Por MH

Heloísa Bernardes é referência na área de terapia ortomolecular no Brasil
Heloísa Bernardes é referência na área de terapia ortomolecular no Brasil -
Devido a pandemia de Covid-19, a insegurança, o confinamento e a falta de uma previsão de quando esta situação vai passar, o nível de ansiedade acabam virando sentimentos comuns para todos. Isto afeta a saúde emocional e pode desencadear uma série de doenças, como o estresse e a depressão. A terapia ortomolecular é uma opção para uma vida equilibrada, e um corpo mais saudável, com capacidade para reduzir os níveis de radicais livres em nosso corpo.
Heloísa Bernardes, referência na área de terapia ortomolecular no Brasil, explica que o que se deve tratar não é a doença, e sim o indivíduo. Ela explica que a força vital está em uma ínfima substância de minerais, que chega a ser uma fagulha, que detona grandes incêndios. Ao equilibrar a força vital de cada um, os remédios começam a funcionar igual para todos. Depende do equilíbrio.

Neste período em que toda a humanidade está convivendo com com a pandemia do novo coronavírus, discutir o equilíbrio do corpo se faz mais do que importante. “Nós temos que amplificar as nossas defesas. Dessa forma, o vírus não vai encontrar as condições para se alojar. O nosso método visa equilibrar o ácido básico do nosso organismo. Em um organismo alcalino nenhum impostor se aloja. Além disso, tratamos muito da oxigenação do corpo, de forma que se leve mais oxigênio para as nossas células. Tudo isso ajuda no imunológico. Para isso usamos oligoelementos, vitaminas, realizamos uma diástase para identificar como está o organismo de cada um. E, através desse protocolo, descobrimos o que cada um precisa”, ressalta Heloísa.

O tempo para alcançar o desejado equilíbrio vai variar de pessoa para pessoa, já que trata-se de um tratamento individualizado. O protocolo promete prevenir contra todas as doenças, e não apenas o coronavírus. Para se tornar terapeuta, basta possuir segundo grau completo e ter disponibilidade para estudar. A maior parte dos cursos de Heloísa são de 12 meses, onde os alunos aprendem a interpretar o que os órgãos estão dizendo, o que eles precisam, e o que se faz para tratar. Ela também oferece o curso de Naturopatia, que é mais longo, de 18 meses, pois é concedido um diploma francês de alto nível.

“Nós temos um protocolo que pode ser atendido pela internet, não precisa ser presencial. Nestes momentos difíceis, o terapeuta tem condição de atender desde o primeiro módulo, sob a minha supervisão”, pontua Heloísa.

O tratamento com a terapia ortomolecular acompanha de perto a alimentação, a qualidade do sono, o emocional das pessoas, etc. Com a pandemia, muitos se encontram nervosos, angustiados, tristes, e, a oligoterapia, além do tratamento de equilíbrio, proporciona tranquilidade para a mente e corpo. São elementos que ajudam as pessoas imediatamente, promete Heloísa, com resultados rápidos.