Por paulo.gomes
Publicado 04/11/2013 15:09 | Atualizado há 7 anos
Garçom Marcos Morais (de vermelho) faz curso de inglês no SindRioDivulgação

Rio - Com um mercado de trabalho cada vez mais exigente e globalizado, ter um segundo idioma deixou de ser um diferencial para ser quase que obrigatório em algumas áreas, como turismo e serviços, para ser manter no emprego ou ingressar em um novo. Hoje, ter uma terceira língua é que passou a ser o ‘algo mais’. E com a proximidade dos grandes eventos no Rio, a demanda por trabalhadores bilíngues e trilíngues cresce cada vez mais. Especialistas afirmam que o salário de quem fala mais de um idioma pode ser superior em cerca de 60%.

O cenário é promissor, mas ao mesmo tempo preocupante na visão de Angela Dias Branco, sócia do curso Plan Idiomas Direcionados. Segunda ela, algumas pesquisas mostram que apenas 11% dos profissionais conseguem se comunicar em outro idioma sem dificuldades em entrevista de trabalho.

Inglês imprescidível

“Isso tem um impacto muito grande nas empresas que necessitam de gente qualificada e preparada para o mercado global”, avalia. Ela conta que em geral é comum encontrar pessoas que sabem um pouco da língua inglesa, por exemplo, mas não conseguem desenvolver a comunicação de forma satisfatória.

No caso do inglês, ele é imprescindível para profissionais de Turismo, Serviços, Relações Internacionais, Comunicação e Tecnologia da Informação defende Cristina Daibert, superintendente geral do curso Ibeu. “O idioma deixou de ser um diferencial para se tornar parte da formação básica”, avalia a gestora.

Áreas carentes

Turismo e Serviços são as áreas com mais demanda de profissionais bilíngues. A coordenadora de formação e qualidade do Sindicato dos Hotéis, Bares e Restaurantes do Rio (SindRio), Carla Riquet, afirma que apesar de estarmos a oito meses da Copa de 2014 é grande a carência de pessoal capacitado em outros idiomas.

“Somente nos últimos seis meses a procura pelos cursos de inglês cresceu. Infelizmente o brasileiro deixa tudo para o final”, avalia. Carla Riquet diz que o sindicato oferece um curso de inglês básico gratuito para quem trabalha em bares e restaurantes.

Com carga horária de 45 horas/aula, ele é destinado para atendentes, garçons, barman, chefe de cozinha e maître. “São cursos rápidos focado na atividade profissional”, explica.

Inglês aumenta em 50% chance de conquistar vaga

Fátima Mangueira, diretora da Mira Recursos Humanos, conta que dependendo do cargo, o percentual de chance para contratação é de mais 50% para quem possui o idioma inglês. “Já para quem fala espanhol, a chance gira em torno de 25%. Para isso, temos que ter um olhar no perfil do cargo, pois em alguns, como a atividade de secretária, este percentual pode chega a 90%”, avalia a especialista em RH.

No Brasil há dois anos, o cubano Nilo Rodrigues, de 33 anos, é tradutor de inglês e espanhol da Golden Rio Eventos e Serviços. “Faço tradução escrita de contratos e livros para o português. Sou engenheiro de automação, mas foi a área de tradução que proporcionou a minha vinda para o Brasil”, afirma.

O garçom Marcos de Morais, de 35, que faz curso de inglês do SindRio, diz que já consegue se comunicar com os clientes estrangeiros da cantina em que trabalha em Santa Teresa.

“Já tiro dúvidas do cardápio e faço sugestões de pratos aos estrangeiros que se tornaram maioria no restaurante”, diz.

Angela Branco (à esquerda) durante aula para alunos do curso PlanReprodução Internet

Salário 60% a mais para quem tem outros idiomas

Diretora do curso Plan, Angela Branco revela que há pesquisas sobre mercado de trabalho mostrando que, de acordo com o nível profissional na organização, a diferença salarial entre funcionários que falam fluentemente o inglês pode variar de 47% (Nível Superior) a até 60% (cargos de alta direção).

“A fluência em inglês é um fator de peso na definição de contratações e promoções”, afirma Angela.

José Adolfo Rodriguez, sócio-diretor da Golden Rio Eventos e Serviços, relata que o inglês se torno obrigatório. E para alguns setores o terceiro idioma passou a ser o grande diferencial.

“Qual seria este idioma? Especificamente, depende muito do ramo da economia e da empresa na qual o individuo se desenvolve”, ressalta o diretor da Golden Rio Eventos, que está com vagas abertas para treinamento em tradução Inglês-Português. “É um curso em que os participantes aprimoram suas habilidades como tradutores”, informa o executivo.

Veja onde se qualificar

· O Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), do Ministério do Turismo, oferece desde o início de outubro 61.439 vagas até dezembro nas modalidades Pronatec Copa e Pronatec Copa na Empresa em 120 municípios brasileiros. Entre os 54 cursos estão inglês e espanhol. “O Pronatec Turismo busca qualificar os profissionais do setor e preparar as pessoas que pretendem entrar no mercado de trabalho”, explica o secretário nacional de Programas de Desenvolvimento do Turismo, Fábio Mota. Informações e inscrições no 0800-606-8484 ou no site: www.pronateccopa.turismo.gov.br.

· O Ministério do Turismo abriu chamada pública para credenciar agências de viagem interessadas na recepção de turistas chineses. Para participar é necessário que as unidades estejam registradas no Sistema de Cadastro de Pessoas Físicas e Jurídicas, o Cadastur, e enviem à Assessoria Especial de Relações Internacionais documentos até o dia 6 de dezembro. Informações: www.turismo.gov.br.

· O SindRio inicio um curso gratuito de inglês básico dia 12. Inscrições www.sindrio.com.br.

· O Ibeu oferece o curso Welcome to Rio by Ibeu, com foco na indústria do turismo. Informações: www.ibeu.org.br.

· O Plan Idiomas desenvolve cursos direcionados para áreas específicas. (www.planidiomas.com.br).

Você pode gostar