Mais Lidas

Caminho para um Rio mais verde

Meta é ambiciosa e inclui desde a plantação de 120 mil novas mudas de árvores nas ruas até a ampliação para 68% da rede de esgoto

Por cadu.bruno

Rio - Uma cidade preparada para enfrentar os percalços da natureza. É assim que o Rio de Janeiro quer ser visto nos próximos anos. E para alcançar esse objetivo, há 4 anos, o município executa um ‘trabalho de formiguinha’ com o projeto global 100 Cidades Resilientes. Para os próximos três anos, a meta para um Rio mais verde e saudável é ambiciosa e inclui desde a plantação de 120 mil novas mudas de árvores nas ruas até a ampliação para 68% da rede de esgoto.

Além de concretizar as 16 propostas ligadas ao meio ambiente, a premissa de ser uma cidade resiliente é fazer com que os moradores tenham autonomia para agir em casos de crise. No Rio, o pontapé desse trabalho começou pelas comunidades do Macaco, em Vila Isabel, e Formiga, na Tijuca, e será expandido. A prefeitura, por meio da Defesa Civil, junto com o 100 Cidades Resilientes, está mapeando outras comunidades para receber novos treinamentos.

Caminho para um Rio mais verdeArte%3A O Dia

“É um trabalho de fortalecimento dessa população mais vulnerável. Juntamos as lideranças para ensinar ações simples, como por exemplo, o que é preciso fazer em casos de desabamento de terra”, explicou Helena Monteiro, diretora-adjunta do 100 Cidades Resilientes.

Como parte das ações para tornar o município mais consolidado em recursos ambientais, a Prefeitura do Rio lançará em dezembro o Plano de Desenvolvimento Sustentável. Todas as secretarias já deram suas contribuições e, a partir de agora, a Secretaria Municipal da Casa Civil vai iniciar reuniões com lideranças e especialistas de cada área. O plano vai ajudar o poder público a se planejar para ordenar o desenvolvimento da cidade nos próximos 13 anos.

Prédios inteligentes e sustentáveis

A parceria da Prefeitura do Rio com o 100 Cidades Resilientes, da Fundação Rockfeller— que comemora o seu centenário—, começou na gestão de Eduardo Paes e continua firme com o prefeito Marcelo Crivella. Entre os projetos em andamento, está em estudo um piloto de eficiência energética em prédios públicos. “A meta é tornar as estruturas de escolas e hospitais mais inteligentes e suficientes em produção de energia. São construções sustentáveis, com coleta de água e de energia solar”, explicou Helena.

A arborização e manutenção de praças públicas também é o foco dessa parceria. O estudo nessa área é para identificar novas tecnologias de iluminação pública e formas de compensação das ilhas de calor pela vegetação. Nesse segmento, o Florestas cariocas também está em andamento no município. Com a contribuição dos parceiros do 100 Cidades Resilientes, as formas de preservação e exploração dos parques públicos estão sendo avaliadas, inclusive programas de reflorestamento.

Além do Rio, Salvador e Porto Alegre têm convênio com Fundação Rockfeller. A empresa global conta com mais de 100 prestadoras de diversos serviços, que oferecem desde estudos de viabilidade até implementação de softwares. No Rio, um exemplo da contribuição dessas empresas é o mapeamento de todas as árvores da cidade, por meio do programa georeferenciado das ilhas de calor.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia