Compadre Washington e Beto Jamaica, do É o Tchan, para o show do Moletchan - fotos Divulgação
Compadre Washington e Beto Jamaica, do É o Tchan, para o show do Moletchanfotos Divulgação
Por Gabriel Sobreira
Publicado 16/01/2018 03:00 | Atualizado 16/01/2018 16:09

Rio - Quando toca Molejo ou É o Tchan, ícones dos anos 90, é quase impossível ficar parado. Agora, imagina os dois grupos juntos. Não precisa imaginar. Nesta sexta, eles vão tocar seus sucessos no projeto 'Moletchan', no Km de Vantagens Hall, na Barra da Tijuca. Fica até difícil pensar na playlist, repleta de hinos. Da parte do Molejo, o músico Andrezinho já entrega.

"Com certeza não podem faltar: 'Dança da Vassoura', 'Cilada', 'Brincadeira de Criança', 'Samba Rock do Molejão', 'Samba Diferente', 'Voltei', 'Deboche' e por aí vai", conta, risos. Já os parceiros de palco, É o Tchan, não faz por menos. "'Dança do Bumbum', 'Dança da Cordinha' e a nossa nova música de trabalho 'Coroa Vs Novinha'. Além dos grandes sucessos do Molejo, a música que a gente criou, o 'Varresegura' que é a mistura de 'Segura o Tchan' com a 'Dança da Vassoura'. Além de outras músicas que marcaram a década de 90", conta o Compadre Washington, do É o Tchan.

HINOS

Os dois grupos comemoram o fato de suas canções não saírem de moda, e cada vez mais agregarem novos fãs. Andrezinho tem um palpite em relação ao Molejo. "Acho que pela alegria e proposta do grupo. E talvez pela verdade do trabalho, tudo sempre é feito com muita dedicação, carinho e transparência, com jeito Molejo de ser", explica, orgulhoso. Compadre Washington também fica muito feliz com o carinho dos fãs. "Nós ficamos muito felizes disso acontecer. É impressionante como as pessoas ainda lembram das músicas e também das coreografias. Acredito que é por que faz parte da história e de momentos importantes da vida das pessoas", frisa.

Galeria de Fotos

Anderson, do Molejo, e Compadre Washington, do É o Tchan, em meme sobre o Moletchan Reprodução
Compadre Washington, do É o Tchan, e Anderson, do Molejo, em apresentação do Moletchan Reprodução
Integrantes do Molejo para o show do Moletchan Divulgação

Com tantas músicas na carreira, dá para cantar todas de ambos grupos sem uma "colinha"? Beto Jamaica é sincero. "A gente canta, a maioria. Tem algumas que a gente esquece (risos). Mas termina a gente cantando tudo, a gente canta tudo do Molejo, o Molejo canta tudo do Tchan, pois os dois ficam no palco ao mesmo tempo, então fica sendo um grande coral", diverte-se.

ORIGEM 'MOLETCHAN'

A ideia do projeto 'Moletchan' de surgiu em 2017, pelo próprio Andrezinho. "O É o Tchan convidou o grupo Molejo para participar do show deles em uma Virada Cultural em São Paulo. Como as duas bandas se entrosaram superbem no palco, sugeri que fizéssemos uns shows juntos, daí o público adorou a ideia e as duas bandas abraçaram a proposta", conta o músico. Washington, do É o Tchan, diz que até já conversaram sobre a possibilidade da parceria virar um DVD. "Mas não está nada certo ainda", indica. Andrezinho faz coro. "Já chegamos a conversar sobre assunto sim. Até porque o público já pediu um DVD do projeto. Mas ainda não definimos nada", desconversa, aos risos.

Os integrantes dos dois grupos também contam que essa união de alegria promovida por eles não tem nada a ver com o fato de estilos como funk e sertanejo ganharem cada vez mais espaço nas mídias. "Foi algo bem espontâneo", diz Beto. "Nós acreditamos que exista espaço para todos os seguimentos musicais. Decidimos nos juntar pela alegria, por ser um trabalho muito gostoso e juntar a alegria", acrescenta Andrezinho.

BAGUNÇA E ALEGRIA

Uma coisa é certa. O encontro entre as bandas é de pura bagunça e alegria principalmente porque eles já se conhecem de longa data. Beto Jamaica, do É o Tchan, diz que toda essa energia e alto astral acontece tanto dentro quanto fora do palco.

"É uma farra das boas", entrega ele, que confessa, que eles nunca ensaiaram. "A gente faz no improviso. O projeto quando foi lançado, a ideia era fazer na improvisação e todos os shows deram certo assim", confessa.

O que o público pode esperar do show de sexta-feira? "Muita alegria, pois são dois grupos bastante alegres e isso vai contagiar. Muita dança, muita coreografia e queremos todo mundo lá presente", chama Compadre Washington. Andrezinho segue a mesma linha. "Um show super dançante e animado, onde vão relembrar muitas coreografias. Podem ir preparados para dançar muito", avisa animado.

Você pode gostar
Comentários