Pierre Baitelli diz que sempre quis ser ator: 'Nunca tive outro desejo'

Ator está no ar como o carismático Antonio de ‘A Lei do Amor’

Por O Dia

Pierre Baitelli Divulgação

Rio - Pierre Baitelli, 33 anos, o carismático Antonio de ‘A Lei do Amor’, gosta desde muito cedo de se transformar em outros. “Comecei a fazer teatro aos 8 anos. Nunca tive outro desejo. Nem antes disso e nem depois disso”, garante.

O encantamento pela profissão veio da possibilidade de viver outras vidas diferentes da sua. “Isso despertou minha curiosidade e fui fazer teatro aos 15. Era incrível poder ter essa possibilidade. Hoje, vejo o quanto isso ainda me motiva e também, ao longo da carreira, me dá um respiro de mim”, conta.

Na trama das nove, Antonio, filho de Gigi (Mila Moreira), vive uma história de amor com a personagem da atriz Titina Medeiros, a massagista Ruty Raquel, uma mulher mais velha do que ele. Pierre defende o amor e acredita ser importante o combate a qualquer tipo de preconceito.

“Nunca tive um relacionamento assim, mas teria, não vejo problema algum. A idade não importa para o amor. Temos que avançar nas questões”, afirma, salientando que, infelizmente, ainda existe preconceito ao redor das relações que fogem a padrões. “É uma pena. Ainda acontece bastante. Muita gente acha que relações com diferença de idade possam ter algum interesse, além do sentimento”.

Solteiro, o ator diz que nunca sofreu um ataque preconceituoso, mas que se sensibiliza com quem já foi vítima. “Fico triste, indignado quando vejo alguém agir assim. Já é tão difícil viver, se relacionar, trabalhar. Por que se comportar assim com o outro? Não consigo conceber preconceito de nenhum tipo”, indigna-se.

ESTREANTE NO HUMOR

Este é o primeiro papel de humor de Pierre na TV. “Para viver um personagem assim, o ator não pode se levar a sério, e também não pode julgar o personagem. O mais importante é estar disponível para o jogo. Sair de casa com o texto decorado, mas aberto para o que vai acontecer, para o que o parceiro vai te dar”, ensina o ator petropolitano.

Adorando a parceria com Titina, Pierre entrega que a identificação entre eles foi imediata, e que o fato de ambos serem ‘crias’ do teatro facilitou o ‘jogo’ dos dois, para o entrosamento dos personagens. “Nosso encontro foi uma permissão à primeira vista. Desde a preparação até a gravação das cenas. Nos ouvimos muito”, conta. “Às vezes, principalmente em TV, é difícil ter espaço para criação. E nossos personagens são bem específicos dentro da novela. Personagens cômicos. Nossa parceria é realmente uma diversão”, completa.

NOVAS POSSIBILIDADES

Antonio é expansivo e Pierre, tímido. Antonio é um dramático engraçado; já Pierre se define mais dramático mesmo. Mas o ator garante que o personagem vem trazendo para sua vida possibilidades que ele não imaginava.
“Aprendo muito com ele. Saio mais leve do estúdio. Sou mais atraído pelos personagens dramáticos, conheço mais. Ainda estou descobrindo a comicidade com o Antonio, que está me abrindo caminhos”, frisa.

Pierre Baitelli se destacou no teatro em espetáculos como ‘O Despertar da Primavera’ (2008). Na TV, estreou na microssérie ‘Capitu’ (2008), de Luiz Fernando Carvalho. Além da novela das nove da Globo, estava no ar simultaneamente na segunda temporada da série ‘Magnífica 70’, do canal HBO, em que interpretava o golpista Dario.

“São todos personagens densos, que também adoro fazer. Mas o ator tem mesmo aquela história de levar o personagem para cama, e com o Antonio tenho a possibilidade de um respiro”.

Ao longo de 15 anos de trajetória profissional, Pierre nunca se imaginou fazendo outra coisa. Nem a culinária, que é uma paixão, poderia virar o ofício principal desse ator por vocação.

“Claro que, quando faltou trabalho, me questionei muitas vezes. Neste momento de entressafra, acontece com todo artista de se questionar. Mas não passa de um pequeno desânimo. Porque, no fundo, não existe outra possibilidade para mim. Nunca pensei em desistir de fato. Amo o que faço e só poderia fazer isso”, diz.

Últimas de Diversão