Cerveja não faz a barriga aumentar

Estudos internacionais mostram ainda que bebida previne resfriados e estresse, desde que o consumo seja moderado

Por bferreira

Rio - A Ciência ‘redimiu’ a cerveja. A bebida mais popular do país não ‘dá’ barriga, faz bem ao organismo e ainda previne a gripe, apontam pesquisas. Mas antes que você use estes argumentos para beber todas nesta sexta-feira, saiba que limite no consumo é essencial.

Estudo japonês mostrou que compostos do lúpulo — planta que dá o sabor amargo à bebida — são capazes de inibir a multiplicação do vírus respiratório e ainda protegem contra a pneumonia. Outra pesquisa, feita por europeus, verificou que consumo diário de 330 ml de cerveja por mulheres e 660 ml por homens, por um mês, aumentou as células de defesa nas mulheres e a produção de anticorpos em ambos. O lúpulo ainda pode ajudar a combater insônia e estresse.

“Os benefícios servem para cerveja com ou sem álcool, mas é fundamental moderação. O recomendado é uma lata para mulheres e duas para homens, por dia”, explica Andrea Zaccaro, presidente da Associação Brasileira de Nutrição Esportiva.

Mas como fica a famosa barriguinha de chope? Andrea explica que o problema está relacionado ao excesso de calorias e a exageros na alimentação. Afinal, ao lado da cerveja sempre tem batata frita ou queijo amarelo. Uma lata da bebida contém apenas 140 calorias. Já 100 gramas de amendoim têm 500, lembra a especialista.

“Duas latas não têm relação alguma com barriga. O problema é que muitas pessoas não degustam a cerveja, mas bebem em grande quantidade”, disse, acrescentando que excessos podem causar doenças cardiovasculares.

Antioxidantes e vitaminas

Não só de lúpulo é feita a cerveja. A cevada, outro componente famoso da bebida, também faz bem. É do grão que vem a metade dos polifenois da cerveja, que têm ação antioxidante, removendo radicais livres que prejudicam as células saudáveis.

Além de antioxidantes, explica Andrea, a cerveja é rica em água, carboidratos, contém um pouco de sais minerais, vitaminas do complexo B e fibras solúveis que ajudam a reduzir os níveis de colesterol e açúcar no sangue.

Mas se você não curte beber, não se preocupe. Há outras opções para a ingestão do grão. Pão integral de cevada, sopas, saladas e risotos são algumas alternativas em que os benefícios são mantidos.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia