Tradicional Bloco das Piranhas reúne cerca de 120 mil pessoas no Centro de AraruamaLuiz Felipe Rodrigues (RC24h)

A Prefeitura de Araruama foi a primeira da Região dos Lagos a anunciar o cancelamento do Carnaval de rua em 2022. A decisão foi anunciada nas redes sociais nesta quarta-feira (5).

O decreto publicado pela Prefeitura informa que a medida é motivada pelos casos confirmados no estado do Rio da nova variante do coronavírus, a Ômicron.

Além da tradição da Região dos Lagos em receber elevado número de turistas no feriado de carnaval, o que facilita aglomerações.

O documento diz, ainda, que está permitido o funcionamento de matinês em casas de shows, clubes e salões de festas até às 23h, com redução em 50% da capacidade máxima de lotação.

Além disso, as pessoas terão que apresentar comprovante de vacinação da segunda ou terceira dose da vacina contra a COVID-19 e usar máscara de proteção no local da matinê.

Em Araruama, o destaque do carnaval é o Bloco das Piranhas, considerado o maior bloco carnavalesco da Região dos Lagos, com público médio estimado em 120 mil pessoas.

Contexto
Em outras cidades da Região dos Lagos, há uma movimentação, encabeçada pelo prefeito cabo-friense, José Bonifácio (PDT), de se tomar uma decisão conjunta sobre o carnaval com São Pedro da Aldeia, Arraial do Cabo e Armação dos Búzios.

O secretário de Turismo de Cabo Frio, Carlos Cunha, disse ao Portal O Dia na terça-feira (4) que a “tendência é pelo cancelamento” das festividades.

A terça-feira foi de cancelamento da folia de rua em cidades importantes do Estado do Rio. A primeira foi Maricá, na Região Metropolitana.

O prefeito Fabiano Horta (PT) usou o Twitter para informar a suspensão da programação de carnaval na cidade devido ao avanço da Ômicron, variante da Covid-19, no estado.

Na sequência, foi a vez do prefeito carioca, Eduardo Paes (PSD), se posicionar. Folião de carteirinha, Paes confirmou que não haverá desfiles de blocos, mas o carnaval na Sapucaí segue confirmado.

O prefeito disse que chegou a ser oferecido aos patrocinadores realizar os blocos em locais fechados, como o Parque Olímpico, para controle das regras sanitárias de combate à Covid-19, contudo a proposta não seduziu representantes dos blocos, que enfatizam a ligação com os territórios tradicionais por onde desfilam.

A Prefeitura de Niterói seguiu as vizinhas e não vai realizar carnaval de rua. O município foi além e vetou até mesmo festas privadas.

A única atração mantida é o desfile das escolas de samba na rua Conceição, no Centro. Contudo, os foliões terão que apresentar o passaporte da vacina e deverão usar máscaras para acompanharem os desfiles das arquibancadas. O cancelamento do desfile também não é descartado.

“Vamos seguir acompanhando a situação da pandemia na cidade e na Região Metropolitana ao longo das próximas semanas, podendo restringir, inclusive, o desfile das escolas da rua da Conceição”, afirmou a Prefeitura niteroiense.