Criador de 'João de Deus' é acusado de embolsar dinheiro de fornecedores

Empresário José Abdalla teria recebido quase R$ 51 mil de presidente afastado de parque de diversões após evento religioso

Por O Dia

José Luiz Abdalla teria recebido recursos desviados de José David Xavier
José Luiz Abdalla teria recebido recursos desviados de José David Xavier -
São Paulo - José Luiz Abdalla não costuma brincar em serviço. Apesar de acionista de um parque de diversões, o empresário do ramo imobiliário não tem credo nem religião quando o assunto é dinheiro. Em maio deste ano, por exemplo, pesa sobre Abdalla a denúncia de que tirou proveito de um rentável evento de uma igreja cristã protestante em seu empreendimento para embolsar R$ 50.915,00.
Detalhe: o montante estava reservado para pagar fornecedores do parque, que estavam há meses sem receber. Pior: a quantia seria suficiente para pagar os salários atrasados, na época, de 30 humildes funcionários. O empresário teria até assinado recibo no ato do pagamento.
O descaso chama atenção já que o parque de diversões encontra-se em recuperação judicial. Ou seja, acionista não tem direito a dividendos enquanto a companhia não acertar as contas com os credores.
Como gestão não é o seu forte, Abdalla costuma advogar em causa própria. Além de abusar do direito de pedir cortesias à administração do parque para seus incontáveis convidados, o empresário desfalca ainda mais às finanças da companhia com uso indevido de ingressos para cobrir despesas pessoais.

Galeria de Fotos

José Abdalla Reprodução
José Luiz Abdalla teria recebido recursos desviados de José David Xavier Reprodução
José David Xavier Reprodução
José David Xavier Reprodução
José David Xavier Reprodução
José David Xavier Reprodução
José David Xavier Reprodução
Vizinhos do imóvel onde Abdalla mora relatam que entradas do parque já foram dadas à administração da propriedade para cobrir custos do condomínio mensal. Ou seja, além de não arcar com seus compromissos enquanto pessoa física, o empresário compromete o faturamento da pessoa jurídica do parque com excesso de convites gratuitos.
Fã de parque de diversões ganha ação na Justiça após ser expulso por ex-presidente

Não é de hoje que Abdalla patina nos negócios. Paga, via orçamento do parque, pelos erros cometidos há dois anos quando escolheu José David Breviglieri Xavier para presidir o parque.
José David, que foi afastado da gestão do empreendimento em maio, está sendo acusado nas redes sociais, nos últimos dias, de maltratar funcionários. O ex-gestor ganhou apelido de João de Deus, o médium que de santo virou demônio após assediar centenas de mulheres em Abadiânia, Goiás.
Vídeo mostra José Xavier sendo agredido pelos seguranças do empresário José Luiz Abdalla
O empresário chegou, no fim de 2017, a entrar com uma petição na Justiça para tirar Xavier da presidência do parque de diversão. Abdalla alegava que não tinha acesso às informações financeiras da empresa e que só conseguiu entrar no parque após boletim de ocorrência.
Já Xavier acusava o acionista de chantageá-lo. Em março de 2018, Abdalla entrou no parque com seguranças e protagonizou um desentendimento generalizado com funcionários do parque, com direito inclusive a empurra-empurra com o então presidente.
Não se sabe se por conta de algum alinhamento econômico, na linha toma lá, dá cá entre a criatura e o criador, Abdalla e Xavier hoje se encontram do mesmo lado. Do lado de fora, quer dizer, já que a Justiça determinou que o acionista trapalhão e o presidente afastado com fama de truculento não dão mais as cartas no empreendimento, comandado hoje pelos acionistas majoritários do parque.

Comentários

Criador de 'João de Deus' é acusado de embolsar dinheiro de fornecedores O Dia - Brasil

Criador de 'João de Deus' é acusado de embolsar dinheiro de fornecedores

Empresário José Abdalla teria recebido quase R$ 51 mil de presidente afastado de parque de diversões após evento religioso

Por O Dia

José Luiz Abdalla teria recebido recursos desviados de José David Xavier
José Luiz Abdalla teria recebido recursos desviados de José David Xavier -
São Paulo - José Luiz Abdalla não costuma brincar em serviço. Apesar de acionista de um parque de diversões, o empresário do ramo imobiliário não tem credo nem religião quando o assunto é dinheiro. Em maio deste ano, por exemplo, pesa sobre Abdalla a denúncia de que tirou proveito de um rentável evento de uma igreja cristã protestante em seu empreendimento para embolsar R$ 50.915,00.
Detalhe: o montante estava reservado para pagar fornecedores do parque, que estavam há meses sem receber. Pior: a quantia seria suficiente para pagar os salários atrasados, na época, de 30 humildes funcionários. O empresário teria até assinado recibo no ato do pagamento.
O descaso chama atenção já que o parque de diversões encontra-se em recuperação judicial. Ou seja, acionista não tem direito a dividendos enquanto a companhia não acertar as contas com os credores.
Como gestão não é o seu forte, Abdalla costuma advogar em causa própria. Além de abusar do direito de pedir cortesias à administração do parque para seus incontáveis convidados, o empresário desfalca ainda mais às finanças da companhia com uso indevido de ingressos para cobrir despesas pessoais.

Galeria de Fotos

José Abdalla Reprodução
José Luiz Abdalla teria recebido recursos desviados de José David Xavier Reprodução
José David Xavier Reprodução
José David Xavier Reprodução
José David Xavier Reprodução
José David Xavier Reprodução
José David Xavier Reprodução
Vizinhos do imóvel onde Abdalla mora relatam que entradas do parque já foram dadas à administração da propriedade para cobrir custos do condomínio mensal. Ou seja, além de não arcar com seus compromissos enquanto pessoa física, o empresário compromete o faturamento da pessoa jurídica do parque com excesso de convites gratuitos.
Fã de parque de diversões ganha ação na Justiça após ser expulso por ex-presidente

Não é de hoje que Abdalla patina nos negócios. Paga, via orçamento do parque, pelos erros cometidos há dois anos quando escolheu José David Breviglieri Xavier para presidir o parque.
José David, que foi afastado da gestão do empreendimento em maio, está sendo acusado nas redes sociais, nos últimos dias, de maltratar funcionários. O ex-gestor ganhou apelido de João de Deus, o médium que de santo virou demônio após assediar centenas de mulheres em Abadiânia, Goiás.
Vídeo mostra José Xavier sendo agredido pelos seguranças do empresário José Luiz Abdalla
O empresário chegou, no fim de 2017, a entrar com uma petição na Justiça para tirar Xavier da presidência do parque de diversão. Abdalla alegava que não tinha acesso às informações financeiras da empresa e que só conseguiu entrar no parque após boletim de ocorrência.
Já Xavier acusava o acionista de chantageá-lo. Em março de 2018, Abdalla entrou no parque com seguranças e protagonizou um desentendimento generalizado com funcionários do parque, com direito inclusive a empurra-empurra com o então presidente.
Não se sabe se por conta de algum alinhamento econômico, na linha toma lá, dá cá entre a criatura e o criador, Abdalla e Xavier hoje se encontram do mesmo lado. Do lado de fora, quer dizer, já que a Justiça determinou que o acionista trapalhão e o presidente afastado com fama de truculento não dão mais as cartas no empreendimento, comandado hoje pelos acionistas majoritários do parque.

Comentários