O Presidente da República, Jair Bolsonaro, durante declaração após reunião com os presidentes do Senado Federal, Câmara dos Deputados e Supremo Tribunal Federal, ministros e governadores.
O Presidente da República, Jair Bolsonaro, durante declaração após reunião com os presidentes do Senado Federal, Câmara dos Deputados e Supremo Tribunal Federal, ministros e governadores.Marcelo Camargo/Agência Brasil
Por ESTADÃO CONTEÚDO
O presidente Jair Bolsonaro comentou a decisão da chanceler da Alemanha, Angela Merkel, de suspender a adoção do lockdown no país. Bolsonaro parafraseia a decisão de Merkel, afirmando que a medida restritiva é muito mais grave para a economia. Segundo Bolsonaro, "Angela Merkel - ia ter o lockdown rigoroso lá - e ela cancelou e pediu desculpas. Ela falou lá, segundo a imprensa, que os efeitos de fechar tudo é muito mais grave que os efeitos do vírus. Palavras dela".
Apesar do que disse Bolsonaro, não foi o que a chanceler afirmou. Conforme relato da rede alemã Deutsche Welle de rádio e TV, a suspensão das medidas restritivas acontece em razão do curto período para implementação. "A ideia foi um erro. Havia boas razões para optar por ela, mas ela não pode ser implementada suficientemente bem nesse curto período de tempo", disse Merkel segundo a rede. "Esse erro é somente meu", ressaltou. "Lamento profundamente e peço desculpas a todos os cidadãos".
Publicidade
Vacina
Mantendo a promessa que fez em rede nacional na terça-feira (23) para produção de imunizante, Bolsonaro afirmou que, "nos próximos três meses, a gente vai começar a produzir vacina". Segundo o mandatário, "o governo está funcionando, mas isso não aparece. Só aparece um assunto aí", em referência à covid-19.