Butantan pede autorização à Anvisa para testar soro contra covid em humanos
Butantan pede autorização à Anvisa para testar soro contra covid em humanosDivulgação/Instituto Butantan
Por iG
O Instituto Butantan respondeu sobre a manifestação de um pesquisador do Instituto Mount Sinai, que disse à Folha que a Butanvac teria sido desenvolvida nos Estados Unidos, não sendo, portanto, 100% brasileira. Em nota, o Butantan diz que a vacina será desenvolvida integralmente no Brasil, e que o consórcio que desenvolveu a vacina não foi divulgado porque "a instituição não autorizou".
"O Instituto Butantan esclarece que a produção da ButanVac, primeira vacina brasileira contra o novo coronavírus, é 100% nacional, conforme anunciado na manhã desta sexta-feira, 26/3, em coletiva de imprensa. É importante ressaltar que a ButanVac é e será desenvolvida integralmente no país, e o consórcio internacional tem um papel importantíssimo na concepção da tecnologia e no suporte técnico para o desenvolvimento do imunobiológico, algo imprescindível para uma vacina segura e eficaz", diz o Butantan.
Publicidade
Segundo o Instituto, a reportagem da Folha traz um comunicado não oficial de um pesquisador de instituição norte-americana, mas que a vacina é "brasileira e dos brasileiros"
"A instituição não autorizou a divulgação de seu nome em comunicados oficiais do Butantan sobre a nova vacina. Comunicados conjuntos serão feitos pelos integrantes do consórcio no momento oportuno, incluindo a instituição citada pela folha. A vacina é do consórcio. A ButanVac é brasileira", finaliza a nota oficial.
Você pode gostar