IGP-10 desacelera para 0,13% em maio

Impulsionado pelo comportamento dos preços ao produtor, índice perdeu 1,06 ponto percentual em relação a abril, segundo a FGV

Por marta.valim

Impulsionado pelo comportamento dos preços ao produtor, o Índice Geral de Preços– 10 (IGP-10) recuou 1,06 ponto percentual, ao passar de 1,19% para 0,13%, de abril para maio. O indicador foi divulgado nesta quinta-feira, pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre-FGV).

Com o resultado de maio deste ano, o IGP-10 acumula alta de 3,54% nos primeiros cinco meses do ano. A taxa anualizada (referente aos últimos 12 meses) ficou em 8,01%. Em maio do ano passado a taxa registrou deflação de 0,09%.

O IGP-10 é calculado com base nos preços coletados entre os dias 11 do mês anterior e 10 do mês de referência.

Principal responsável pelo recuo dos preços medidos pelo IGP-10 em maio, o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) encerrou o mês com variação negativa de preços (0,22%), resultado 1,64 ponto percentual inferior à taxa de abril (1,42%).

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), outro componente do IGP-10, registrou variação de 0,76%, em maio, ante 0,88%, em abril – recuou de 0,12 ponto percentual. Quatro das oito classes de despesa componentes do índice registraram decréscimo nas taxas de variação, com destaque para o grupo alimentação (que caiu de 1,71% para 1,16%). Nesta classe de despesa, vale mencionar o comportamento do item hortaliças e legumes, cuja taxa passou de 15,65% para 2,72% - despencando 12,93 pontos percentuais.

Já o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) foi o único a registrar alta de preços entre abril e maio, e ficou em 1,06%, variação de 0,67 ponto percentual sobre o resultado de abril (0,39%). Também variaram os índices relativos a materiais, equipamentos e serviços (0,67%) e custo da mão de obra (1,41%).

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia