Jornalista inglês lista 50 momentos dos Beatles em livro

Na publicação ‘Love Me Do’, Paolo Hewitt guia o leitor pelos bastidores de cenas e encontros memoráveis que ajudaram a construir a história do grupo de Liverpool

Por daniela.lima

Rio - O dia em que os Beatles experimentaram LSD? O encontro deles com Elvis Presley? A união de John Lennon com Yoko Ono? Quando afirmaram que Paul McCartney morreu? O assassinato de Lennon? Nada disso. Para o jornalista inglês Paolo Hewitt, que listou os 50 momentos mais marcantes dos Beatles no livro ‘Love Me Do’ (Ed. Record, 272 págs., R$ 45), a passagem mais relevante na vida do conjunto de Liverpool não foi nenhuma das listadas acima — todas, claro, devidamente detalhadas em sua publicação.

Beatles%2C em 1965%2C nomeados Membros do Império Britânico pela Rainha Elizabeth%3A momento marcanteKeystone / Divulgação


“O show que fizeram em Liverpool bem no início da carreira, depois de voltarem de Hamburgo usando jaquetas de couro, um figurino bem agressivo para 1961. Foi a primeira vez que fãs enlouquecidas gritaram por eles. A partir dali, os próprios Beatles sabiam que nada seria da mesma forma novamente”, crava o autor.

No livro, ele guia o leitor pelos bastidores de cenas e encontros memoráveis que ajudaram a construir a história do grupo, da infância dura em Liverpool à reunião dos integrantes para o projeto ‘Anthology’, nos anos 90. Eventos mais recentes, porém, como a reunião de Paul McCartney e Ringo Starr em Los Angeles este ano, para comemorar os 50 anos da primeira aparição da banda na TV norte-americana, não está incluída em sua lista — e ele tampouco pretende acrescentar o fato em uma futura reedição da obra. “Eu sequer assisti a essa apresentação. Para ser honesto, sou mais interessado no passado dos Beatles do que no presente deles”, explica. “Mas acredito que o livro cubra todos os momentos importantes da banda. Se alguém discordar, por favor me prove o contrário”, desafia.

Autor de mais de 20 livros sobre música, moda e cultura pop, e de títulos sobre outras bandas, como Oasis e The Jam, Hewitt assume que os ingleses se espantam ao saber que, no Brasil, existem milhares de fãs e grupos musicais dedicados a recriar a obra dos Beatles.

“Para os ingleses, os brasileiros passam o tempo jogando futebol na Praia de Copacabana ou dançando com garotas de biquíni ao som de Gilberto Gil. Mas as turnês de Paul McCartney por aí, com reações fenomenais dos fãs, derrubam essa percepção”, ressalta.

Mais beatlemania em livro

Além de ‘Love Me Do’, outros dois livros sobre os Beatles estão sendo lançados no Brasil. Em quadrinhos, ‘O Quinto Beatle’ (Ed. Aleph, 168 págs., R$ 59,90) foca em Brian Epstein, o empresário que descobriu o grupo em Liverpool e fez deles a banda mais famosa de todos os tempos.

Já ‘Man On the Run: Paul McCartney Nos Anos 1970’ (Ed. Leya, 352 págs., 29,90) promove um olhar sobre a década mais tumultuada da vida do baixista dos Beatles. “Foi uma época de drogas, mas também de discos brilhantes”, resume o autor, o jornalista inglês Tom Doyle.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia