Reencontro com Liminha aproxima CD de Paula Toller do som do Kid Abelha

'Transbordada' é o quarto trabaho solo da cantora

Por tabata.uchoa

Rio - Bem ao estilo do pop eletrônico da década de 1990, a levada introdutória de ‘Tímidos românticos’, música feliz que abre o quarto CD solo de Paula Toller, indica que ‘Transbordada’ é o disco que mais se aproxima do Kid Abelha dentre os quatro álbuns gravados pela cantora fora do grupo carioca. Essa sensação já tinha sido recorrente ao longo do show em que a artista apresentou, em junho, as dez músicas inéditas do disco. Mas é reforçada com a audição do (bom) CD de estúdio lançado este mês pela gravadora Som Livre.

Paula Toller apresenta dez músicas inéditas no seu quarto CD solo%2C ‘Transbordada’%2C produzido por Liminha%2C parceiro da artista em nove faixasFlávio Colker / Divulgação

O reencontro de Paula com Liminha — produtor de ‘Transbordada’ e dos primeiros LPs do Kid — certamente colaborou para a fina sintonia da sonoridade do atual trabalho solo da ‘abelha rainha’ com o som deliciosamente pop do trio. Até porque Liminha é parceiro de Paula em nove das dez músicas.

‘Tímidos românticos’, que celebra a felicidade de amor bem resolvido, se destaca no CD ao lado de ‘Ohayou’, outra música luminosa, gravada com o toque da bateria do ‘paralama’ João Barone. São músicas solares e mais sedutoras do que o morno ‘single’ ‘Calma aí’, recado para seres movidos por sede de poder.

Produtor antenado, Liminha insere sons contemporâneos nas faixas. ‘Transbordada’ não soa datado ou velho, embora remeta ao pop dos anos 1990. Há nuances. Assinada pela dupla com Arnaldo Antunes, ‘Será que eu vou me arrepender?’ é balada de espírito folk, conduzida por violões e gravada em dueto com Hélio Flanders. A letra expõe dúvidas suscitadas pela decisão de uma separação. Já ‘À deriva pela vida’ se avizinha da praia do reggae.

Com efeitos, ‘Seu nome é blá’ abafa intencionalmente a voz de Paula e dá certa densidade ao CD ao perfilar criatura do mal. ‘O sol desaparece’ também tem clima cinzento ao abordar crepúsculo afetivo. Mas, no todo, Paula fez CD feliz, pop. O sol brilha.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia