A Zoeira nunca acaba: festa de hip hop volta para a Lapa

Sucesso no bairro nos anos 90, evento reestreia neste sábado

Por roberta.campos

Rio - ‘Hip Hop Lapa, sábado Zoeira/Levantar poeira, não? Tô de bobeira/Se quiser zoar, esse é o lugar/Riachuelo 19 L.A.P.A’. No refrão da ‘Melô da Zoeira’, gravado em 1999, Marcelo D2, Marechal e Aori indicavam o endereço de um grande espaço de celebração do rap carioca: a festa Zoeira HipHop, na extinta Sinuca Palácio dos Arcos.

De volta aos anos 90%3A dançarinos de break na festa Zoeira HipHopLeo Braz / Divulgação


Os três MCs são alguns dos expoentes do gênero que frequentavam o lugar, retratado na capa do disco ‘Usuário’ e no clipe ‘Legalize Já’, ambos da banda Planet Hemp. Mesmo com o fechamento da Sinuca, em 2001, a festa nunca deixou de existir. Elza Cohen, fotógrafa, produtora e idealizadora da Zoeira, levou a experiência para São Paulo, onde a noite continuou com convidados como KLJay, do Racionais MC’s. Passados 17 anos desde as primeiras edições, a festa volta ao bairro de origem no próximo sábado, no La Paz Club.

A sinuca, como lembra Elza Cohen, era um antigo casarão em uma Lapa abandonada — o fechamento da casa de shows Circo Voador havia esfriado a vida noturna da área. “Nenhum outro lugar iria aceitar a gente”, lembra, rindo. Os grafiteiros Binho Ribeiro e Akuma coloriram as paredes, transformando o ambiente em uma “espécie de galeria urbana”.

Aos poucos, MCs e dançarinos de break começaram a chegar. Marcelo D2 foi o primeiro DJ da festa. Dali em diante, a cada edição apresentavam-se os nomes que marcariam a história do hip hop carioca. Entre eles, BNegão, DJ Castro (Quinto Andar) e Negralha (O Rappa). Marechal era o mestre de cerimônia, coordenando as apresentações de freestyle que aconteciam no palco. Sobre a Zoeira HipHop, o MC resume: “Sem ela, sem eu.”

Conforme a festa foi crescendo, o espaço deixou de ser só dos agentes do hip hop, recebendo celebridades brasileiras e até internacionais, como Bon Jovi. “Minha festa de rap virou a mais democrática do mundo”, diverte-se Elza. “Isso divulgou a cultura do hip hop carioca, que é muito bonita.”

O ator João Velho tinha 14 anos quando frequentava a Zoeira na Lapa. “Essa época marcou a minha vida. Guardo isso com muito carinho.” Promoter da festa, ele espera reviver o clima dos anos 90 misturado com as novidades da cena contemporânea: “Vai ser um encontro da galera de cabelo branco com o pessoal de hoje em dia”, antecipa o filho da atriz Cissa Guimarães.

Elza pretende fotografar os rostos desses personagens, fazendo um mapeamento do movimento. “Vai ser emocionante demais”, espera.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia