Mais Lidas

No ‘Dancing Brasil’, Theo Becker quer melhorar a imagem: 'amadureci muito'

Comportamento discreto é resultado do trauma adquirido em 2009, quando participou de ‘A Fazenda’ e deixou o reality rejeitado

Por luana.benedito

São Paulo - Feliz com o convite da Record para participar da segunda temporada do ‘Dancing Brasil’ — no ar toda segunda-feira, às 22h30 —, Theo Becker prefere falar pouco, ficar na dele. O comportamento discreto é resultado do trauma adquirido em 2009, quando participou de ‘A Fazenda’ e deixou o reality rejeitado.

Theo BeckerDivulgação

“Eu sou o Theo e lido com uma sequela tremenda de tudo o que aconteceu. Agora, estou com o coração purificado, amadureci muito, mas lido com um carma e espero que ele esteja acabando”, diz o ator, muito emocionado.

Na época do reality, Theo agiu de forma agressiva. Em uma das brigas com o modelo Jonathan Haagensen, ele bateu no peito e disse a famosa frase: “Esse é irmão desse”. Arrependido, ele diz que pede, todos os dias, para que as pessoas esqueçam esse episódio infeliz de sua carreira. “Tem gente que me encontra na rua e brinca com essa história. Isso me deixa péssimo, sinto vergonha”, afirma o artista, que planeja usar o ‘Dancing’ para melhorar a sua imagem.

“É a minha primeira oportunidade de fazer isso. Quando eu tive um programa com a Nicole Bahls, era dirigido para dar piti. Em ‘A Fazenda’, eu potencializei esse personagem, mas eu não quero mais viver essa mentira”, explica o novo dançarino.

DANÇARINO DA XUXA

Depois da experiência de 2009, o ator acreditou que nunca mais conseguiria um trabalho na televisão. A aposta da Record, para ele, é um milagre. E, por isso mesmo, é hora de agarrar a oportunidade com as duas mãos.

“Parei de surfar, comecei a correr e pedalar. Quero me empenhar nos ensaios, já fiz até um workshop com o Carlinhos de Jesus”, conta Becker, ao lembrar que já dividiu o palco com a Xuxa. “Eu era dançarino dela, mas era muito duro.”

Trabalhar novamente com a rainha é uma alegria para ele. Agora, mais velho, seus olhos brilham, como os de uma criança cheia de esperança. “No momento, minha filosofia de vida é: ‘não se explique, não minta e não peça desculpas’. Se você não precisar pedir desculpas, quer dizer que você está perfeito. Eu estou preparado para as críticas, prometo não retrucar nada que os jurados disserem. Vou abaixar a cabeça e concordar sempre, não importa a consquência”, revela.

Embora curta uma competição, Becker adianta que já avisou aos diretores da casa que não participaria do ‘Power Couple’. O que o fez topar fazer o ‘Dancing’ foi o clima de amizade nos bastidores.

Agora, de olho no futuro, ele já arrisca dizer quem vai dar trabalho na disputa. “Todos podem surpreender. O Yudi (Tamashiro) tem muita coordenação, e eu tenho certeza de que ele vai despontar. A Lexa e a Carla (Prata) também dançam muito, mas eu não posso me basear nisso porque no último programa teve a Sheila Mello, uma das melhores, que não ganhou”, avalia, em busca de um prêmio maior que os R$ 500 mil: “Quero tranquilidade, paz de espírito.” 

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia