A cantora Wanda Sá - Divulgação
A cantora Wanda SáDivulgação
Por O Dia

Rio - Gravado em 1964 e considerado um dos mais emblemáticos discos da história da bossa nova, “Wanda Vagamente”, disco de estreia da cantora Wanda Sá, terá pela primeira vez um show de lançamento. Isso mesmo! O lançamento acontece 54 anos depois! O espetáculo será neste sábado, dia 10 de novembro, às 20 horas, na Sala Municipal Baden Powell, em Copacabana.

O show dá prosseguimento à série “Discos Históricos da MPB”, que tem curadoria e direção de Arnaldo DeSouteiro, e foi inaugurada com grande sucesso, em agosto, com o show “Quem É Quem”, de João Donato.

O álbum “Wanda Vagamente”, cultuado por novos e antigos fãs da bossa e da MPB, já teve inúmeras reedições em vinil e CD, tanto no Brasil como no exterior. Mas seu repertório nunca foi apresentado ao vivo pela cantora, em nenhum lugar do mundo.

“Wanda Vagamente” inclui a primeira gravação de “Inútil Paisagem” (de Tom Jobim & Aloysio de Oliveira), a histórica “Tristeza de Nós Dois” (composta a seis mãos por Durval Ferreira, Bebeto Castilho & Mauricio Einhorn) e também músicas de Marcos Valle, Edu Lobo, Carlos Lyra, Francis Hime, Geraldo Vandré, Luiz Roberto e Roberto Menescal.

Além de assinar a produção do disco, Menescal contribuiu com a faixa-título “Vagamente” (em parceria com Ronaldo Boscoli) e a jazzística “Adriana” (com letra de Lula Freire), inspirada no hit jazzístico “Take Five” de Dave Brubeck & Paul Desmond. Há ainda uma canção da própria Wanda, “Encontro”, com letra de Nelson Motta.

Por uma grande ironia do destino, Wanda Sá nunca chegou a fazer um show de lançamento de “Vagamente”, que contou com um timaço de músicos: Eumir Deodato, Luiz Carlos Vinhas, Tenório Jr., Ugo Marotta, Edison Machado, Dom Um Romão, João Palma, Sergio Barroso, Manuel Gusmão, Celso Brando, Pedro Paulo, Otavio Bailly e Henri Ackselrud.

“Logo após a gravação do disco, Wanda viajou para uma longa turnê pelos Estados Unidos com Sergio Mendes, iniciando sua carreira internacional. Portanto, não teve tempo de realizar shows no Brasil para divulgar o trabalho”, comenta o jornalista e historiador Arnaldo DeSouteiro.

“O álbum se auto-impulsionou por sua qualidade e passou a ser cultuado no mundo inteiro, principalmente no Japão, onde foi reeditado em CD pela primeira vez, muito antes de ser redescoberto no Brasil”, conclui o idealizador da série Discos Históricos da MPB.

A Sala Municipal Baden Powell fica na Av. Nossa Senhora de Copacabana 360, Copacabana. O ingresso custa R$ 60 (R$ 30/meia). A bilheteria abre a partir desta quarta, das 15h às 21h. A entrada também pode ser adquirida pelo link: https://riocultura.superingresso.com.br.

Você pode gostar