TRE apreende material irregular de campanha em primeira ação na Maré

Operação foi realizada com o apoio do Exército e dos fuzileiros navais. Dez toneladas de placas foram apreendidas

Por felipe.martins , felipe.martins

Rio - O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) divulgou nesta quinta-feira o balanço da primeira operação de fiscalização realizada no complexo de favelas da Maré, na Zona Norte do Rio. Em ação realizada na quarta-feira, 80 fiscais do Tribunal Regional Eleitoral entraram pela primeira vez na Maré, com o apoio do Exército e dos fuzileiros navais que ocupam o conjunto de favelas. Dez toneladas de placas irregulares foram apreendidas.

Fiscais do TRE realizaram operação na Maré com apoio do Exército e de fuzileiros navaisDivulgação / ASCOM TRE-RJ

No Conselho dos Moradores da Vila Ipiranga, Salsa e Merengue e Marrocos (localidades da Maré), foram apreendidos cem caixas de amostras grátis de remédios, listagem de entregas de cestas básicas, cronograma da equipe de campanha de candidato ao governo do Estado Anthony Garotinho (PR), da candidata a deputada federal Clarissa Garotinho (PR) e do candidato a deputado estadual Guiga (PR), além de cem adesivos deles.

Também foram encontrados cerca de duzentos formulários de cheque-cidadão, cinco mil panfletos de Anthony Garotinho e Clarissa Garotinho, dois mil exemplares do informativo Palavra de Paz, oito faixas com ataques ao governador Pezão (PMDB), ao candidato a deputado federal Pedro Paulo (PMDB) e ao prefeito Eduardo Paes, além de três computadores e R$ 800.

Operação apreendeu cem caixas de amostras grátis de remédiosDivulgação / ASCOM TRE-RJ

Dividida em oito equipes, a fiscalização também circulou sem problemas por toda a Maré e recolheu uma tonelada de placas irregulares. Na localidade Vila dos Pinheiros, a maioria das placas encontradas era dos candidatos Gérson Bergher (PSDB) e Del (PSDC), além de Garotinho e Clarissa. O trabalho da fiscalização desta quarta-feira foi desencadeado após denúncia de que o conselho de moradores, localizado na Vila Ipiranga, funcionava como centro social.

A coordenadora estadual da fiscalização, juíza Daniela Barbosa Assumpção de Souza, e o comandante da força de pacificação no complexo da Maré, general Francisco Brito, comemoraram as dez toneladas de placas irregulares recolhidas nos oito caminhões usados na operação realizada na quarta-feira (27). "Superou as nossas expectativas e planejamos retornar para nova operação conjunta", disse a juíza, que também comemorou o apoio da população. Em comunidades como Baixa do Sapateiro, Salsa e Merengue, Vila dos Pinheiros e Vila do João, os moradores pediam a retirada a propaganda, colocada na fachada das casas sem a sua permissão.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia