Dilma comanda 'tuitaço' pedindo ao pastor Silas Malafaia 'menos ódio'

Do outro lado, o pastor também organizou um tuitaço contra gays, a presidenta e o PT, mas sem a mesma repercussão

Por O Dia

Rio - A  presidenta da República, Dilma Rousseff, organizou nesta sexta-feira um tuitaço que, até às 15h, ainda era um dos assuntos mais comentados na rede social Twitter. A campanha #MenosÓdioMalafaia faz referência às críticas do líder do Ministério Vitória em Cristo da Assembleia de Deus, pastor Silas Malafaia, ao movimento LGBT. "Vamos todos para o Twitter mostrar que o País não aceita o discurso do ódio, da homofobia e da ignorância", convocou no Facebook a equipe que coordena a campanha da presidente nas redes sociais.

Campanha da presidenta Dilma no Facebook pedindo ao pastor Malafaia menos ódio figurou entre os assuntos mais comentados do Twitter no mundoDivulgação


A campanha liderada pela campanha petista chegou a constar na lista dos assuntos mais comentados na listagem mundial do Twitter. Do outro lado, o pastor Silas Malafaia também organizou um tuitaço contra a presidenta e o PT. "O ativismo gay quer acabar com o Dia das Mães e dos Pais nas escolas e o governo Dilma é o maior financiador deles, tuitou o pastor. Ele chegou a fazer quatro postagens por minuto, mas seus 'tuítes' não chegaram a figurar sequer na listagem nacional do microblog.

Equipe de campanha de Dilma comandou campanha pedindo mais amor ao pastor MalafaiaReprodução Internet

Malafaia já protagonizara um dos episódios mais polêmicos destas eleições, em agosto, quando o PSB, partido de Marina Silva, divulgou seu programa de governo. Na ocasião, o pastor utilizou o Twitter para criticar trecho que defendia os direitos dos gays.

Após o ataque, o PSB modificou o programa alegando ter acontecido erro na transcrição. Dias depois, Malafaia usou a mesma rede social para declarar apoio à candidata do PSB, Marina Silva.

Últimas de _legado_Eleições 2014