Disputa no Sudeste concentra a agenda dos presidenciáveis

Dilma, Aécio e Lula têm agendas previstas no Rio de Janeiro de hoje até sexta-feira

Por bferreira

Rio - A três dias do fim da campanha eleitoral, Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB) concentram forças no Sudeste, região onde estão os três maiores colégios eleitorais do país — São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro — e na qual a disputa pelos votos está mais acirrada.

Segundo pesquisa regionalizada do Datafolha divulgada ontem, nove pontos separam Aécio e Dilma no Sudeste. O senador tem 49% da preferência, e a presidenta aparece com 40%. Mas a petista cresceu cinco pontos na região desde a última sondagem do instituto.

INFOGRÁFICO: Veja os dados do Datafolha por região

Aécio terá pelo menos duas viagens ao Sudeste na reta final. Hoje, estará em sua cidade natal, Belo Horizonte, em comício na Praça da Estação, no Centro. A previsão é de vir ao Rio de Janeiro amanhã, mas o tipo de evento e o horário ainda não foram fechados pela coordenação de campanha do candidato. Na sexta-feira, os dois candidatos estarão na capital fluminense para o debate da TV Globo, o último do segundo turno.

DILMA E LULA

Dilma também vai percorrer Minas Gerais e Rio de Janeiro na reta final. Hoje de manhã, ela vai a Uberaba, no Triângulo Mineiro. À tarde, desembarca no Rio de Janeiro para dois atos de campanha. Ao meio-dia, vai à feira de São Cristóvão e, de lá, segue para encontro com mulheres em Duque de Caxias, na Baixada (até a noite de ontem, o comitê só havia confirmado a agenda na Baixada).

No estado, a presidenta está liderando as pesquisas contra Aécio. Segundo levantamento divulgado pelo Ibope na segunda-feira, ela tem 12 pontos de vantagem sobre o tucano, aparecendo com 56% dos votos válidos, contra 44% do senador.

Inicialmente, estava previsto para hoje um comício com Dilma e o ex-presidente Lula na Cinelândia, mas ele foi cancelado. Os dois programaram eventos paralelos nos próximos dias.

Lula resolveu ir para o Rio Grande do Sul, onde poderá atuar em duas frentes. No estado, o candidato do PT, Tarso Genro, está perdendo para o peemedebista José Ivo Sartori nas sondagens do segundo turno. Enquanto Sartori tem 52% das intenções de voto, o governador petista aparece com 34% da preferência.

A presença de Lula no Sul é importante também para Dilma, já que é a região onde Aécio tem seu melhor desempenho, vencendo Dilma por 51% a 33%, segundo o Datafolha. Na parte da tarde, o ex-presidente irá a Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, onde Aécio Neves esteve na terça-feira.

Amanhã, Lula virá ao Rio de Janeiro e cumprirá agenda na cidade de São Gonçalo e em Campo Grande. “Ele queria uma agenda na Zona Oeste e mapeamos que em Campo Grande a Marina venceu a Dilma. Por isso, escolhemos o local”, justifica o vice-prefeito do Rio, Adilson Pires (PT).

Agora em segundo, tucano desqualifica as pesquisas

O senador Aécio Neves (PSDB) ironizou ontem o resultado da última pesquisa divulgada pelo instituto Datafolha que mostra Dilma na liderança da disputa presidencial do segundo turno. “Pelo que vimos no primeiro turno, essa pesquisa do Datafolha está me dando como eleito como próximo presidente da República”, brincou, em visita a Campo Grande, no Mato Grosso do Sul.

Segundo o candidato, as sondagens internas do partido o mostram na dianteira. “Desde o primeiro turno os erros foram grosseiros em toda a parte”, criticou o tucano.

O candidato do PSDB voltou a atacar a “campanha de desconstrução” do PT contra ele, afirmando que o partido usa o mesmo expediente utilizado contra Eduardo Campos (que morreu em desastre aéreo, em agosto) e Marina Silva.

Aécio voltou a defender as investigações de corrupção na Petrobras, mesmo que atinjam membros do seu partido. Em depoimento dado ao Ministério Público, o ex-diretor da estatal Paulo Roberto Costa mencionou o nome de Sérgio Guerra (já falecido), ex-presidente do PSDB, como um dos acusados de receber propina.

“Tem que se fazer (investigação) em torno de quaisquer nomes. Se houver a comprovação de culpa, seja do PSDB, seja de qualquer partido, seja sem partido, tem que responder, tem que ser julgado e punido”, disse.

‘Somos ignorantes porque ignoramos os tucanos’

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva insinuou ontem que Aécio Neves (PSDB) age de forma machista contra Dilma Rousseff (PT) nos debates. “Eu fico incomodado quando vejo o adversário ofendendo a presidente, dizendo que ela é leviana, ficar chamando de mentirosa. Só pode fazer isso alguém que não aprendeu a educação no berço. Agora, eu fico me perguntando: será que ele teria coragem de fazer as grosserias que ele faz com você se fosse um homem?”, questionou Lula, em um ato de campanha conjunto com Dilma na cidade de Goiana, no interior do de Pernambuco.

Mais cedo, Dilma reuniu milhares de pessoas em um comício em Petrolina e voltou a criticar o PSDB por não ter se preparado para a estiagem, referindo-se à seca no Estado de São Paulo. “O Estado de São Paulo não se preparou para a seca. Vocês do Nordeste se prepararam. Hoje, diante da maior seca, nós temos condições de viver aqui em vez de ficar catando pingo d’água por aí. As cisternas são uma bênção que vocês construíram conosco”, exaltou Dilma.

Durante seu discurso, a presidenta voltou a atacar os tucanos e rebateu a afirmação do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso de que o eleitor do PT era da parcela mais ignorante da população. “Os tucanos falaram que os votos que recebi no semiárido e no Nordeste eram de pessoas ignorantes. Somos ignorantes porque ignoramos os tucanos”, afirmou.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia