Por thiago.antunes

Rio - O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) cassou nesta segunda-feira os registros de candidatura da deputada estadual Daniele Guerreiro (PMDB), por uso indevido de meios de comunicação. A decisão também prevê a suspensão de seus direitos políticos pelos próximos oito anos. Roberto Sales, segundo suplente para Alerj pelo PSD também recebeu as mesmas sanções no julgamento, pelo mesmo motivo. As ações foram movidas pelo Ministério Público Eleitoral, e os condenados podem recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

A condenação de Daniele se baseia em favorecimentos à candidata em reportagens tendenciosas do jornal semanal ‘Panorama’, veiculadas a partir de março deste ano. O proprietário do jornal é Rogério Santana, secretário de mobilidade urbana de Mesquita, cujo prefeito, Gelsinho Guerreiro (PSC), é marido de Daniele.

No caso de Roberto Sales, o TRE observou que sua candidatura foi beneficiada por reportagens publicadas no jornal ‘O Repórter’, que circula no Noroeste Fluminense e teve sua tiragem aumentada por conta das eleições deste ano. O TRE ainda julgará outras 21 ações que pedem inelegibilidade e cassação de registro e diploma.

Você pode gostar